Após anunciar na tarde desta terça-feira (29) a prisão de um homem – divulgando nome e foto dele – como sendo um dos criminosos envolvidos na morte do soldado da Polícia Militar Tiago Ribeiro Simões, 35 anos, a Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) voltou atrás e libertou o acusado. A informação da soltura foi divulgada nesta quarta-feira (30) pela assessoria de comunicação da pasta.

O policial militar foi assassinado às 11h48 de ontem. Por volta das 17h50, a SSP divulgou no grupo de WhatsApp da assessoria de comunicação do órgão – usado para envio de textos institucionais à imprensa – a nota informando a prisão de um rapaz de prenome Washington no bairro do IAPI.

A nota diz que ações de inteligência e denúncias anônimas levaram policiais da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos (DRFRV) e da Operação Apolo da PM à localidade do Brongo, onde Washington foi preso. A nota dizia ainda que, “além de ser flagrado pelo sistema de câmeras do shopping, o assaltante foi reconhecido por testemunhas”.

Abaixo do texto enviado à imprensa, havia a foto de Washington ao lado da imagem de outro homem – capturada pela câmera de segurança do centro comercial. A segunda foto não era nítida.

De acordo com fontes da Polícia Militar, Washington conseguiu provar que estava em outro lugar quando o soldado Tiago foi morto durante a ação de quatro bandidos em um tiroteio dentro do Shopping da Gente, na Avenida ACM. Os álibis dele foram confirmados horas depois ainda no mesmo dia crime.

Questionada sobre a situação, a SSP-BA divulgou a seguinte nota: “A Secretaria da Segurança Pública informa que está apurando os álibis apresentados pelo homem de prenome Washington, conduzido na tarde de ontem, suspeito de participar da quadrilha que assaltou uma loja no Shopping da Gente. Relatos de testemunhas e análises das imagens ajudarão a polícia neste sentido. Washington foi ouvido e liberado, mas segue sendo investigado”.

Compartilhar