Pede para sair, 01! O plano para salvar Dilma passa por inflar o número de ministérios de PP, PR e PSD, que receberiam cada um duas pastas. Até com o nanico PTN existe negociação para uma participação “de proa”, com grandes chances de levar o Ministério do Turismo. O plano só não foi executado ainda porque o PMDB, apesar do dramático divórcio, ainda não largou o osso. Há cerca de mil cargos nas mãos da sigla, segundo o Planalto, mas o escaninho das exonerações ainda estava vazio até quarta.

Quem dá mais A nota de corte para manter os atuais ministros peemedebistas será a mesma aplicada aos outros partidos: fica quem tiver votos na Câmara.

Vai ter faxina O Planalto começará a abrir espaço nas pastas nesta quinta para acomodar os partidos agraciados com cargos. Aliados de Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), que já deixou o posto de ministro, devem ser os primeiros limados.

Subliminar O governo prepara uma campanha publicitária para exaltar programas federais na linha do “não vai parar”, mote muito próximo do “não vai ter golpe”. Procurado, o Planalto não se pronunciou.

Aperta o “rec” O ex-deputado Pedro Corrêa começou a prestar nesta quarta os depoimentos do acordo de delação. Com 40 anos de política, estima-se que as oitivas durem cerca de 30 dias.

Listão A delação de Pedro Corrêa, ainda não homologada pelo Supremo, tem 73 anexos e mais de cem nomes citados.

Quem foi O inquérito que apura o vazamento dos anexos da delação de Nestor Cerveró, que motivou a prisão do senador Delcídio do Amaral e do banqueiro André Esteves, voltou a andar. Cerveró foi ouvido na semana passada.

Compartilhar