A Polícia Federal deflagrou na última segunda-feira, 6, uma operação contra Claudio José de Oliveira, conhecido como “Rei do bitcoin”, suspeito de ter desviado 1 bilhão e meio de reais de mais de 7 mil credores.

Oliveira é investigado por estelionato, lavagem de capitais, organização criminosa, além de delitos contra a economia popular e o sistema financeiro nacional por meio de sua empresa, o GBB (Grupo Bitcoin Banco).

Oliveira é investigado por estelionato, lavagem de capitais, organização criminosa, além de delitos contra a economia popular e o sistema financeiro nacional por meio de sua empresa, o GBB (Grupo Bitcoin Banco).

As investigações contra o grupo começaram em 2019, pela Polícia Civil do Paraná, após denúncias de que clientes não estariam conseguindo sacar dinheiro ou suas criptomoedas dentro do sistema do GBB.

À época, o grupo alegou que teria sido alvo de um ataque cibernético, o que paralisou seus sistemas, e prometeu a clientes a devolução integral dos valores investidos, o que não ocorreu.

Claudio teve a prisão preventiva decretada e a Justiça determinou ainda o sequestro de diversos bens como como imóveis, joias, automóveis e uma chácara que ultrapassam o valor de R$ 7 milhões. De acordo com a PF, os bens serão leiloados e o valor será revertido para ressarcir os credores.

Compartilhar