Por Equipe InfoMoney

A Light, concessionária de energia elétrica no Rio de Janeiro, anunciou a emissão de R$ 400 milhões em debêntures simples e não conversíveis.

Segundo a empresa, a emissão acontecerá no dia 15. Já o Banco do Brasil assinou um contrato de cessão, no valor de R$ 731 milhões, da sua carteira de clientes inadimplentes com a BV Financeira, uma subsidiária do Banco Votorantim (BV). O acordo prevê a possibilidade de o BB readquirir a carteira no futuro. A operadora turística CVC elegeu ontem o executivo Leonel Andrade para o cargo de diretor-presidente, enquanto também houve mudanças nas presidências da Ouro Fino e Raízen, enquanto o IRB Brasil RE elegeu o executivo Wilson Toneto para o cargo de diretor vice-presidente executivo de Riscos e Conformidade.

Petrobras (PETR3;PETR4)

A Petrobras celebrou acordo para encerrar litígio arbitral proposto por um investidor da Sete Brasil Participações. Em função do acordo, a petroleira estatal afirmou que reverterá no balanço do primeiro trimestre de 2020 a provisão de R$ 634 milhões referente aos litígios envolvendo a Sete Brasil, que está em recuperação judicial. Os termos do acordo e o processo arbitral não foram divulgados, porque são protegidos por confidencialidade. “A companhia permanece em defesa de seus interesses nos processos em curso”, apontou a estatal.

Light (LIGT3)

A concessionária de eletricidade Light, do Estado do Rio de Janeiro, aprovou a emissão de debêntures no valor de R$ 400 milhões. A Light informou que a emissão terá série única e acontecerá no dia 15. Cada debênture terá o valor de R$ 1 mil e a custódia eletrônica será feita pela B3 em São Paulo. As debêntures serão simples e não conversíveis, com o primeiro vencimento em 15 de abril de 2021. Os juros remuneratórios corresponderão a 100% da variação diária dos DI, acrescidos de uma sobretaxa de 2,51% ao ano. A remuneração será semestral.

Banco do Brasil (BBAS3)

O Banco do Brasil cedeu por R$ 731 milhões a sua carteira de clientes inadimplentes para a BV Financeira, uma subsidiária do Banco Votorantim (BV). A BV Financeira adquiriu o poder de negociação e cobrança dos clientes devedores. O contrato prevê a possibilidade do Banco do Brasil efetuar a recompra da carteira no futuro. Vale notar que o Banco do Brasil é acionista minoritário no Banco Votorantim. O contrato de cessão foi assinado em 24 de março.

CVC (CVCB3)

A CVC, maior operadora de turismo do Brasil, informou que o executivo Leonel Andrade foi eleito diretor-presidente da empresa, em reunião do Conselho de Administração. A CVC comunicou que Andrade assumiu o cargo imediatamente após a eleição. Com mais de 20 anos de carreira, Andrade foi diretor-presidente da Smiles Fidelidade, da Credicard e da Losango.

O executivo chega à CVC em um momento delicado da empresa e do mercado. Em 3 de fevereiro, a empresa declarou ter encontrado erros contábeis no valor de R$ 250 milhões, o que terá impacto nos resultados de 2019. A empresa adiou a divulgação do balanço auditado do ano passado e conduz uma investigação interna. O momento do mercado de turismo é ainda mais complicado, com a epidemia do coronavírus se alastrando pelo Brasil e pelo mundo, o que impede as viagens. Segundo a CVC, Leonel Andrade conduzirá a reorganização e elaborará a estratégia para a empresa nos próximos anos.

Ouro Fino (OFSA3)

O Conselho de administração aceitou a renúncia de Jardel Massari ao cargo de diretor presidente da companhia, disse a Ouro Fino em comunicado. O Conselho também elegeu Kleber Cesar Silveira Gomes como novo diretor presidente e de relações com investidores da Companhia e Marcelo da Silva como diretor financeiro.

Raizen

Na Raizen, joint venture entre Cosan (CSAN3) e Shell, Ricardo Mussa deixará seu cargo atual de diretor executivo da companhia e exercerá mandato como presidente até 1 de junho de 2022, segundo comunicado. O cargo era ocupado por Luis Henrique Cals de Beauclair Guimarães, que renunciou ao cargo.

IRB Brasil (IRBR3)

A resseguradora IRB Brasil RE elegeu o executivo Wilson Toneto para o cargo de diretor vice-presidente executivo de Riscos e Conformidade, em substituição à executiva Lúcia Maria da Silva Valle, que fazia parte da equipe anterior e desligou-se recentemente da empresa. Toneto se reportará ao presidente da empresa, Antônio Cássio dos Santos, ele próprio novo no cargo – assumiu em março. O Conselho da IRB Brasil também indicou Toneto para o cargo de Responsável pelo combate a fraudes, pelo combate à lavagem de dinheiro e pelos controles internos da seguradora perante a Susep – Superintendência de Seguros Privados.

Localiza (RENT3)

O Conselho de administração da Localiza aprovou proposta da administração de mudança da data do pagamento dos juros sobre capital próprio para 5 de janeiro de 2021, disse a companhia em
comunicado.

A Localiza vem adotando uma série de medidas para aumento de liquidez, contingenciamento de despesas e redução do Capex, destacou. A posição de caixa atual é de aproximadamente R$ 3,9 bilhões. “Novas medidas podem ser implantadas, dependendo da extensão e duração da crise”, pontuou.

Sabesp (SBSP3)

A Agência Reguladora de Saneamento e Energia de São Paulo (Arsesp) divulgou deliberação que estabelece o cronograma de eventos da 3ª revisão tarifária ordinária, destacou a Sabesp em comunicado. Segue o cronograma abaixo:

** Publicação da proposta de metodologia da 3ª RTO: 14/maio/2020
** Publicação do Custo Médio Ponderado de Capital (WACC): 14/maio/2020
** Consulta Públicas e Audiências Públicas: 15/maio/2020 a 3/julho/2020
** Publicação da Nota Técnica Preliminar – Cálculo do P0 :14/jan/2021
** Consulta Pública e Audiência Pública – Cálculo do P0: 15/jan/2021 a 19/fev/2021
** Publicação de Nota Técnica Final e Deliberação do P0: 09/abril/2021

Ultrapar (UGPA3)

A Ultrapar comunicou que, uma vez que as atividades das empresas controladas pela companhia são classificadas como essenciais no contexto das medidas adotadas para o enfrentamento da pandemia, de modo que tais empresas permanecem em pleno funcionamento.

“Nesse sentido, desde o início da crise, a companhia e suas controladas vêm atuando de maneira determinada para assegurar a continuidade do fornecimento dos produtos e da prestação dos serviços que oferecem à população, ao mesmo tempo em que buscam contribuir com ações que ajudem na mitigação dos impactos para seus colaboradores, clientes, fornecedores, parceiros e sociedade em geral”, destacou.

Entre as ações, estão o parcelamento de pagamentos e suspensão de cláusulas de performance de vendas aos revendedores Ipiranga, além de iniciativas para contribuir com o esforço nacional de combate à crise por meio de doações para construção de hospital de campanha e compra de respiradores, desconto em combustíveis para profissionais da saúde viabilizado pelo aplicativo Abastece Aí, entre outras.

A Ultrapar ainda informou ter reforçado sua liquidez e posição de caixa por meio de linhas de crédito preventivas no valor total de R$ 1,5 bilhão, com prazo de 12 meses. Além disso, o plano de investimentos para 2020 será reduzido em aproximadamente 30%, como medida de contingenciamento de caixa.

A companhia também comunicou o cancelamento das projeções financeiras para 2020 divulgadas em fato relevante de 03 de março de 2020. “Tais projeções tinham como uma de suas principais premissas o crescimento de 2% do PIB brasileiro em 2020, o que já não mais representa o consenso atual de mercado, de acordo com o último relatório Focus emitido pelo Banco Central. Adicionalmente, a volatilidade e a velocidade de mudança de cenários não permitem, neste momento, que seja estabelecida uma nova projeção”, destacou.

Compartilhar