O presidente municipal do PCdoB, Everaldo Augusto, jogou “lenha na fogueira” e afirmou durante o fim de semana que a legenda comunista deve indicar um nome para liderar a bancada de oposição na Câmara de Vereadores de Salvador. O posto está sendo bastante cobiçado, agora. Nos bastidores, segundo a Tribuna apurou, a expectativa do bloco é que o líder desse grupo terá amplo destaque com a proximidade da eleição de 2020. Na semana passada, o vereador Sidninho (Podemos) já se colocou como principal pré-candidato.

Segundo ele, há um acordo para que o Podemos seja o agraciado da vez, em função do esquema de rodízio. A vereadora Aladilce Souza (PCdoB), no entanto, nega o que haja esse acordo firmado pela bancada de oposição na sucessão da atual líder, Marta Rodrigues (PT). “Vamos fazer algumas reuniões para analisar a situação atual. Estamos próximos da eleição municipal. Temos a cada período que analisar qual partido e qual mandato se adéqua melhor para liderar a bancada”, afirmou. Ela avalia como prejudicial as tratativas antecipando a escolha do novo líder oposicionista. “É preciso ficar claro que a eleição da Mesa da Câmara foi antecipada, mas a eleição dos líderes das bancadas não foi antecipada. Até dezembro, temos a liderança com Marta. Acho que antecipar agora essa situação sem analisar é prejudicial em todos os aspectos”.

Na semana passada, Sidninho espalhou que os petistas da Casa já garantiram o apoio ao Podemos. “Existe a declaração do PT de que eles estariam votando com a gente. E existe o entendimento que o Podemos terá o líder de oposição para ocupar essa vaga”. Indagado se já conversou sobre o assunto com Marta, Sidninho afirmou que ela sinalizou positivamente. “Já sim. Teve uma declaração dela, inclusive. Está tudo alinhado com o PT e com a líder do partido. Marta já conversou comigo e declarou o apoio”, assegurou. A edil, no entanto, evita dar declarações sobre o assunto.

Compartilhar