Por Bruna de Pieri – Terça Livre

O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados decidiu arquivar representação do Partido dos Trabalhadores contra o deputado Carlos Jordy (PSL-RJ).

Parlamentares alegavam “quebra de decoro parlamentar” depois que Jordy chamou o PT de “Partido dos Traficantes”.

O episódio ocorreu no dia 27 de agosto. Na ocasião, Jordy disse que não dava para ficar ouvindo “tanta hipocrisia do PT em determinadas questões”:

“Primeiro, acusar o presidente de sexista, de misógino no episódio que apenas curtiu uma postagem em que se falava que Michelle era mais bonita que a esposa do Macron” (…) “Segundo, falar da associação de Bolsonaro com as milícias. Eles é que têm de explicar o diálogo cabuloso entre o PT e o PCC. PT não é Partido dos Trabalhados, é Partido dos Traficantes”, enfatizou.

Para Jordy, o arquivamento desta denúncia é a justiça sendo feita. “O PT é o partido que mais acusa de forma leviana seus adversários e o Governo. A denúncia foi uma tentativa de censura para que eles continuem a ofender, difamar e caluniar sem ter respostas à altura de toda podridão na qual eles vivem mergulhados. O PT tem sim ligações íntimas com facções criminosas, com as FARC e narcoditadores como Maduro. Não podem censurar a verdade!”, afirmou.

Compartilhar