A deputada federal baiana Dayane Pimentel, presidente do PSL na Bahia, foi eleita em 2018 ao lado do presidente Jair Bolsonaro (ex-PSL), mas rompeu com o chefe do Palácio do Planalto no ano passado. Em entrevista na Rádio A TARDE FM, na manhã desta terça-feira, 28, fez críticas ao mandatário por causa da demissão do ex-juiz Sergio Moro da funão de Ministro da Justiça.

“Nessa celeuma que ele criou com o ex-ministro Sergio Moro, que é um ícone do combate à corrupção, a gente percebe que de duas, uma: ou Bolsonaro é uma pessoa desequilibrada ou deve alguma coisa na Justiça”, disparou a ex-correligionária do presidente. De acordo com a congressista, a resposta virá do inquérito autorizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar a acusação feita por Moro de que o presidente teria interferido politicamente no comando da Polícia Federal. “Resta-nos saber qual das duas é. E aí através do inquérito que o ministro decano do Supremo Tribunal Federal, Celso de Mello, acabou de aceitar teremos a resposta”.

Durante a entrevista, Dayane Pimentel ainda avaliou o andamento do presidente na condução do país. “Bolsonaro está caindo cada dia mais. Infelizmente, não é algo a se comemorar”.

Questionada se mudou algo entre antes e depois de romper com Bolsonaro, Dayane Pimentel negou qualquer modificação no seu perfil de atuação. “Não há nada de diferente. Minhas ideias e projetos são os mesmos. Quem mudou o comportamento foi o Bolsonaro e eu tive minha reação”, afirmou.

Segundo a deputada, o rompimento de Bolsonaro com o PSL, partido pelo qual foi eleito, se deu porque a legenda não aceitou a investida feita pelo presidente. “Fez isso por poder, para proteger os filhos”, disse.

Compartilhar