Nesta terça-feira (30), Paulo Guedes, ministro da Economia, voltou a acalmar os ânimos sobre uma crise de grandes precedentes no Brasil.

Guedes tem sido bastante questionado sobre o país necessitar imprimir mais moeda para enfrentar a crise do novo coronavírus. Em resposta, Guedes disse que a possibilidade do Banco Central emitir moeda ainda é distante.

“Se estivéssemos nessa situação, o juro praticamente desce pra zero e aí não há mais diferença entre títulos que pagam juros e moeda que não paga juro nenhum. Seria uma situação de depressão, a demanda por moeda vai ficar infinitamente elástica”, afirmou.

A declaração ocorreu durante uma audiência pública com a comissão mista de acompanhamento das ações de combate à Covid-19.

Recentemente, Guedes pediu que a população não se amedrontasse, pois ele estava confiante sobre a recuperação do Brasil ainda neste ano.

Por fim, o ministro encerrou sua participação na comissão frisando que o Brasil ainda está longe de uma depressão econômica.

“Mas estamos muito longe dessa situação, não acredito que estamos indo para uma depressão”.

Compartilhar