Por Giuseppe Carrino

Senhores passageiros, apertem bem os seus cintos pois estamos prestes a decolar! Uma das franquias mais consagradas da Microsoft está de volta, 14 anos após o lançamento de Flight Simulator X, que até ganhou uma versão para Steam algum tempo depois, mas não se tratava de um jogo novo, por assim dizer.

Nos últimos dias pude testar a versão preview de Microsoft Flight Simulator, que sairá em agosto para Windows 10 e poderá ser acessado sem custo adicional pelos assinantes do Xbox Game Pass para PC. Minha experiência foi um verdadeiro aprendizado sobre pilotagem e me fez valorizar ainda mais os profissionais da aviação.

Fazia muitos anos desde minha última interação com a franquia, que ocorreu com Flight Simulator 98 quando eu ainda estava no Ensino Médio. Entretanto, eu me recordava bem que não era nada fácil aprender a jogar isso, pois a quantidade de comandos que você tem de decorar é assustadora.

Microsoft Flight Simulator 1 - Divulgação/Microsoft - Divulgação/Microsoft

Imagem: Divulgação/Microsoft

Isso também é uma realidade com o novo game, tornando sua visita ao modo treino presente nele algo quase que obrigatório se você não tem familiaridade com a franquia. Lá você aprenderá o básico do básico: manobrar o avião, estabilizá-lo, decolar, pousar e ir do ponto A ao B. Mesmo neste tutorial, você pode ter certa dificuldade se não tiver paciência em aprender como jogar.

Isso ocorre porque o realismo em Microsoft Flight Simulator é tão grande que você se sente numa autêntica escola de aviação. Cada avião tem suas próprias características e assim como na vida real, serão dezenas ou até centenas de horas de prática até você conseguir pilotar cada um deles plenamente, nesse caso sem qualquer tipo de ajuda oferecida pelo jogo.

Felizmente o jogo possui suporte para controles tradicionais, algo que facilita muito para quem não está interessado em ter de ficar decorando uma série de comandos no teclado e quer apenas ter um pouco da sensação de como é pilotar um avião de verdade.

Microsoft Flight Simulator 2 - Divulgação/Microsoft - Divulgação/Microsoft

Imagem: Divulgação/Microsoft

Só que há um porém: Mesmo usando o controle de Xbox One, cuja versão do jogo falarei mais adiante neste artigo, há momentos onde você precisará recorrer ao mouse e ao teclado para acessar certas funções da jogabilidade, pois como eu disse antes, os comandos são tantos que a produtora Asobo Studio, responsável pelo jogo, simplesmente ainda não conseguiu bolar uma forma de colocar todos eles no controle.

No entanto, depois de algumas horas de aprendizado e você finalmente completar seu primeiro voo sozinho, a sensação é ótima, e te deixa com ainda mais vontade de voar. Além do modo tradicional, que lhe permite traçar qualquer rota que você deseja fazer usando os muitos aeroportos e pontos turísticos que o jogo apresenta, incluindo locais no Brasil como o Aeroporto Internacional de Guarulhos em SP, Aeroporto Santos Dumont e o Cristo Redentor no RJ, há desafios envolvendo pousos em condições atípicas e até mesmo rotas específicas, que levam horas para serem completadas. Felizmente há a possibilidade de salvar seu progresso no meio delas e continuar depois.

Espetáculo visual, mas que custa caro

Outro aspecto que chama muito a atenção em Microsoft Flight Simulator são os visuais. Jogar esse game em 4K e gráficos no Ultra é um show à parte, dado o cuidado que a produtora teve em detalhar as cidades e paisagens vistas de cima. Quanto mais famoso for o lugar, maior o número de detalhes.

Existe a possibilidade de você utilizar sua internet para atualizar o mundo à sua volta em tempo real, só que isso gasta sua banda e também aumenta o espaço que o jogo ocupa em seu HD. No entanto, há opções para limitar a quantidade de novos dados que podem ser recebidos e a banda que pode ser utilizada para obter esses dados. Dá também para desligar totalmente esse recurso, com a internet sendo utilizada apenas para autenticar sua entrada no jogo.

Microsoft Flight Simulator 3 - Divulgação/Microsoft - Divulgação/Microsoft

Imagem: Divulgação/Microsoft

O grande problema de toda essa beleza visual é que ela exige muito do seu computador. Para se ter uma ideia, mesmo utilizando um PC com processador Ryzen 7 3800X, 2x8GB RAM, GeForce RTX 2070S e um SSD M2 dos melhores disponíveis no mercado atualmente, fiquei bem longe de ter uma experiência estável a 60 fps (quadros por segundo). Na verdade, para conseguir essa taxa de quadros, foi necessário diminuir a qualidade gráfica para Médio, só que ao fazer isso você perde muito da beleza visual que o jogo possui.

Jogar no Ultra com essa configuração, no entanto, foi possível em 4K, faltando apenas uma forma de limitar a taxa de quadros para 30 fps, de modo a garantir estabilidade. Mesmo assim, houve momentos onde ela ficou abaixo disso. Vale ressaltar, no entanto, que o jogo usa tanta memória nessa configuração, que em questão de minutos meus 8GB de vídeo e 16GB de memória RAM foram “consumidos”, ocasionando até mesmo rápidas engasgadas.

Fico imaginando como será a experiência de usuários que tem PCs mais modestos, visto que nem utilizando uma máquina com algumas das melhores e mais caras peças disponíveis atualmente, foi possível obter algo aceitável no que diz respeito a performance, mesmo rodando em 1080p e Ultra.

Microsoft Flight Simulator 4 - Divulgação/Microsoft - Divulgação/Microsoft

Imagem: Divulgação/Microsoft

Os responsáveis pelo jogo me falaram que estão dando duro para deixá-lo mais otimizado até o lançamento e que vem trabalhando junto com a Nvidia e a AMD para isso. Ambas empresas disponibilizarão drivers voltados para o jogo quando ele for lançado, os quais esperemos que ajudem a fornecer uma experiência mais estável.

Também foi dito que haverá uma evolução contínua nesse setor, com a adição de novos recursos para melhorar o desempenho e que já houve bastante progresso nisso em relação a versões anteriores do game, disponíveis durante o período de teste Alpha.

Flight Simulator - Divulgação/Microsoft - Divulgação/Microsoft

Imagem: Divulgação/Microsoft

Realidade Virtual está nos planos

Durante meu bate-papo com os responsáveis por Microsoft Flight Simulator, também indaguei a eles sobre o suporte para realidade virtual no jogo, e me disseram que foi uma das primeiras coisas que os membros da comunidade da franquia pediram a eles.

“Nós acreditamos muito em parcerias,” disse Jörg Neumann, Chefe do Microsoft Flight Simulator. “Fizemos uma parceria relacionada com RV, com a HP, e a HP está construindo um novo acessório, o Reverb G2, e eles nos ajudaram, nos deram todo o equipamento, e tem o lançamento em breve ? e iremos lançar [suporte para VR] junto [com a chegada do Reverb G2] e será gratuito. Todos que comprarem o jogo poderão jogá-lo na RV.”

Com o grau absurdo de realismo da jogabilidade de Microsoft Flight Simulator, é fácil concluir que a combinação de realidade virtual e controles específicos, como aqueles feitos pela Logitech ou Thrustmaster, farão o game atingir um grau de imersão inédito na história da franquia, algo que certamente atrairá mais pessoas para dentro de seu universo.

Microsoft Flight Simulator 5 - Divulgação/Microsoft - Divulgação/Microsoft

Imagem: Divulgação/Microsoft

E a versão Xbox One?

Embora Microsoft Flight Simulator seja um jogo voltado para ser jogado no PC, há uma versão para Xbox One sendo desenvolvida, mas que ainda não recebeu uma data específica de lançamento.

Após meu tempo com a versão preview, eu creio que uma das dificuldades que a Asobo Studio e a Microsoft estão enfrentando para converter o jogo para Xbox é em fazer isso mantendo a melhor performance e qualidade visual possível, já que jogar com aqueles gráficos dos trailers exige um senhor PC.

O outro desafio que eles devem estar tendo diz respeito à jogabilidade. Como eu falei mais acima, não tem como, ao menos na versão preview, jogar apenas usando o controle de Xbox One. Entretanto, me foi garantido que quando Microsoft Flight Simulator sair no console, o controle será o único acessório necessário para jogar.

Microsoft Flight Simulator 6 - Divulgação/Microsoft - Divulgação/Microsoft

Imagem: Divulgação/Microsoft

“O plano é que para o lançamento no Xbox One, você consiga jogar totalmente com o controle e apenas com o controle,” disse o fundador da Asobo Studio, David Dedeine.

Com suporte para ser jogado em português brasileiro, Microsoft Flight Simulator será lançado no dia 18 de agosto para Windows 10 e poderá ser jogado sem custo adicional pelos assinantes do Xbox Game Pass para PC.

Quem quiser comprar o game, a pré-venda já está disponível no Brasil em três edições: Standard Edition, incluindo 20 aviões altamente detalhados e 30 aeroportos por R$ 199,95, Deluxe Edition, com 5 aviões com modelos de voo exclusivos e 5 aeroportos internacionais adicionais por R$ 279,95 e Premium Deluxe Edition, com 10 aviões com modelos de voo exclusivos e 10 aeroportos internacionais adicionais por R$ 339,95.

Compartilhar