O Centro de Referência e Assistência Social (Cras) de Brotas foi entregue nesta sexta-feira (3) à população depois de passar por uma requalificação completa feita pela prefeitura. O espaço ficou mais moderno, amplo e acessível. O investimento foi de quase R$ 460 mil.

O prefeito Bruno Reis compareceu à entrega, acompanhado do secretário de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esporte e Lazer (Sempre), Kiki Bispo, e demais gestores municipais.

O Cras fica na Rua Barros Falcão, 128, em Matatu de Brotas, As obras incluíram reforma dos sistemas elétrico e hidráulico, colocação de divisórias, mobiliário e equipamentos, além de acessibilidade. A estrutura ganhou sala multiuso, três salas de atendimento assistencial, uma de coordenação, almoxarifado, depósito, copa, banheiros e recepção

“Com isso, este Cras passa a atender melhor até 5 mil famílias referenciadas e realizar o acompanhamento de 1 mil famílias por ano, residentes em bairros da região. Tenho certeza que será um ponto importante para dar suporte a esses cidadãos, principalmente neste período de pandemia”, diz Bruno Reis.

Bruno disse que antes de 2013 o serviço era precário, mas que a prefeitura tem se dedicado a reestruturar os espaços, além de ampliar as equipes e padronizar o serviço. Ele destacou que aguarda a liberação, pelo Ministério da Economia, dos recursos do Salvador Social 2, através de empréstimo de mais de 125 milhões de dólares, para seguir nesse processo.

Funcionamento
Com funcionamento de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, o Cras é uma unidade pública de atendimento gratuito à população em situação de vulnerabilidade social onde são oferecidos os serviços de assistência social. O objetivo é promover a proteção social básica, desenvolver ações com famílias e indivíduos e fortalecer vínculos familiares e comunitários, evitando que as famílias tenham seus direitos violados e possibilitando a superação de condições de vulnerabilidade.

No local, os cidadãos podem ter acesso a atendimentos individuais e coletivos, visitas domiciliares e institucionais, encaminhamentos à rede socioassistencial, reuniões, ações comunitárias e campanhas socioeducativas e oficinas de convivência e de trabalho socioeducativo. Além disso, são promovidos o incentivo à geração de trabalho e renda, através de capacitação e intermediação de mão de obra; articulação e fortalecimento de grupos sociais locais; e orientações e encaminhamentos para benefícios sociais, como o Bolsa Família e a Carteira do Idoso.

O público-alvo é formado por famílias beneficiárias do Bolsa Família; que estejam em situação de extrema pobreza e pobreza; que sofram privação (ausência de renda, acesso precário ou nulo aos serviços públicos); ou estejam em situação de fragilização de vínculos afetivos (discriminação etária, étnicas, de gênero ou por deficiência).

Compartilhar