Por Gervazio Lopes

O Presidente Jair Messias Bolsonaro é o maior nome da nossa história política desde a desastrosa proclamação da república. É, sem dúvidas, o homem mais popular no Brasil desde D. Pedro I, conforme fala o competentíssimo analista político Leonardo Dias.

Essa popularidade torna o Presidente a maior ameaça ao PT na Bahia e, também, às pretensões políticas do ex-prefeito de Salvador e líder do Democratas, o ACM Neto.

UMA AMEAÇA AO PARTIDO DOS TRABALHADORES

Bolsonaro teve mais de 2 milhões de votos no segundo turno das eleições de 2018 na Bahia e, em uma análise simples, acreditando na transferência dos seus votos para um candidato da sua base na eleição de Governador do Estado da Bahia em 2022, o Presidente matematicamente já coloca o seu candidato ao governo do Estado da Bahia, no mínimo, em segundo lugar na disputa eleitoral.

Adicione a essa perspectiva, o fato do Presidente ter conquistado no Nordeste uma considerável parte do eleitorado do PT, em virtude do apoio do Governo Federal com o Auxílio Emergencial ao povo mais sofrido desse país no período da pandemia.

Enquanto o governo petista do Rui Costa atuou fechando a economia, através do lockdown, como medida fracassada para combater o COVID-19, gerando caos econômico e desemprego, Bolsonaro lutou para garantir os cuidados com a vida, a medida em que se preocupava com a preservação dos empregos. Podemos tirar um fato inquestionável diante de todos os acontecimentos que vivenciamos em 2020: no momento em que os mais pobres da Bahia mais precisaram, foi na atuação de Bolsonaro que encontraram alento e acolhimento, enquanto o petismo cruzou os braços assistindo a miséria se espalhar pelo estado. O Auxílio Emergencial salvou a vida de muitas famílias!

Além da corajosa atuação do Presidente no enfrentamento da pandemia, o Governo Federal vem realizando o maior programa de abastecimento de água do Nordeste. Já são milhares de famílias, que viviam no esquecimento da classe política, que tiveram suas vidas transformadas por conta da água que chegou, pela primeira vez na história desse país, no sertão.

Em 16 anos no Governo Federal nem o PT e nem o PMDB foram capazes de finalizar a transposição do Rio São Francisco. Foi necessário um presidente conservador concluir essa obra histórica em nosso país, para alegria e prosperidade do povo nordestino. Bolsonaro foi o indivíduo que mudou o curso histórico do Nordeste e só veremos o impacto das suas ações na próxima geração.

Essas duas ações fortaleceram a popularidade do Presidente que, somadas aos votos obtidos na eleição de 2018, devem dar ao Jair Bolsonaro uma expectativa de votos que cheguem na casa dos 35% a 40% no primeiro turno para o seu candidato na disputa do Palácio de Ondina, o que o torna uma verdadeira ameaça ao império petista na Bahia.

Sem nenhuma dúvida, Bolsonaro tem chances mais do que reais de eleger o próximo governador no Estado da Bahia e romper com a triste trajetória de 16 anos do petismo no governo estadual. Bolsonaro pode se tornar o homem que varreu o PT da política, tirando não apenas da Presidência da República, mas também do seu último reduto, consolidando seu nome, ainda mais, na história por mais essa brilhante vitória. Vale lembrar que o Governador Rui Costa é o presidente do Consórcio do Nordeste, iniciativa dos governos de esquerda para sabotar a agenda conservadora vitoriosa em 2018.

Enfim, estamos diante do prenúncio do fim do poderio petista e isso tem atormentado os velhos caciques da política, não apenas na Bahia, mas no Brasil.

UMA AMEAÇA À ACM NETO

Acontece que o fenômeno Bolsonaro não ameaça apenas as pretensões do PT de se manter no poder, ameaça também o sonho de menino do líder do partido Democratas, o sr. ACM Neto. Todos na Bahia sabem que o sonho político de Neto é seguir a trajetória vitoriosa do seu avô e se tornar Governador do Estado da Bahia e se projetar a Presidência da República. Neto fez uma gestão com forte aprovação popular na cidade do Salvador, que chegou a dar a vitória em primeiro turno ao seu sucessor, o atual Prefeito, o sr. Bruno Reis.

A verdade que todos sabem na Bahia é que o cenário para 2022 é IMPREVISÍVEL! Quem afirma, com convicção, quem assumirá a cadeira no Palácio de Ondina no dia 01 de janeiro de 2023 está blefando e não fazendo análise política. Todos podem ganhar e todos podem perder. Por isso que o DEM, na figura do seu líder, tem dialogado com ambos os lados, seja com o Governador Rui Costa, seja com o Presidente Jair Bolsonaro.

Na construção de alianças, a maior tendência é uma aliança de ACM Neto com o Governo Federal para a vitória no Governo no Estado da Bahia em 2022. Isso porque já existe uma parceria que foi vitoriosa na conquista das lideranças da presidência na Câmara e no Senado agora em 2021. Aproveitar esse momento de aliança para avançar a agenda do Governo Federal no legislativo nacional pode ser um grande peso para a parceria visando o Governo Estadual em 2022.

Neto é muito articulado e tem aproveitado muito bem o contexto político no Brasil de Bolsonaro. O DEM é o partido que mais cresceu politicamente nos últimos anos e soube aproveitar muito bem o antagonismo Direita versus Esquerda se posicionando no Centro. Acredito que a posição “Centro Esquerda” foi adotada de forma a elevar o preço do partido nas mesas de negociação com o Governo Federal em troca de apoio. Se a parceria com Bolsonaro se firmar para 2022, acredito que o progressismo de Neto dará espaço para um pragmatismo maior e uma redução da pauta ideológica das minorias em sua atuação política.

O Líder do Democratas faz os melhores cálculos políticos na atualidade e, confirmar isso não é elogia-lo, mas nos dar o senso de realidade necessário para compreender o jogo e saber se posicionar. ACM Neto sabe que cometeu os mesmos erros que o PT no tocante ao enfrentamento à pandemia e implantou lockdowns desnecessários, causando prejuízo econômico na capital baiana. O custo político dessa decisão pode fragiliza-lo para 2022, a não ser que esteja ao lado daquele que se preocupou, desde o início, com a economia, o Presidente Jair Messias Bolsonaro.

Sem Bolsonaro, ACM Neto não será Governador da Bahia em 2022 e essa percepção pode fazer com que essa aliança ocorra para a governabilidade no Planalto e para a conquista do poder no Palácio de Ondina em 2022.

Política é para adultos e crianças irão berrar ao compreender a realidade que se apresenta, seja na Direita ou seja na Esquerda e vão berrar contra essa possível aliança, caso esse cenário se configure.

O JOGO NO TABULEIRO E AS MOVIMENTAÇÕES DAS PEÇAS – AÇÃO OFENSIVA

O que apresento acima é apenas um cenário, dentre vários existentes para a jornada eleitoral até 2022. Me arrisco a indicar que a probabilidade do mesmo ocorrer beira ao 65%, saindo do desenho qualitativo do SIM ou NÃO e avançando alguns pontos adicionais. Para a agenda conservadora que elegeu o Presidente em 2018, esse cenário não é favorável e, em muitas áreas, é nocivo, mas entender sua possibilidade nos permite agir com antecedência e nos posicionarmos de forma estratégica.

Estratégia é o que falta na Direita nos dias atuais e nosso objetivo básico é ocuparmos espaços!

Na ação ofensiva, o Governo Federal precisa atuar para que a investigação sobre os quase R$ 100 milhões na compra de respiradores, que até hoje não chegaram no Estado da Bahia, se inicie e avance, de modo a chegar em seus responsáveis. A Polícia Federal já deve estar se movimentando e é bem provável que esse ano tenhamos novidades sobre esse evento, já que o relógio está passando e as eleições se aproximando. Todos os analistas políticos do Brasil estão esperando a explosão do que será conhecido como COVIDÃO.

O Deputado Estadual, Capitão Alden, encaminhou ao Presidente Bolsonaro um pedido de Intervenção Federal na Segurança Pública no Estado da Bahia. As razões que embasam o seu pedido se dá em evidência do escanda-lo envolvendo a Secretaria de Segurança Pública (SSP) do estado nos desdobramentos da Operação Faroeste da Polícia Federal. É possível que essa investigação avance e chegue no Governador do Estado da Bahia, o Rui Costa. Já que existe essa possibilidade, adotando a estratégia ofensiva do centro de gravidade, aí se encontra um bom local para bater e acredito que o Presidente não deixará passar isso em branco.

Em resumo, Bolsonaro tem a faca e o queijo na mão para amarrar as mãos dos seus inimigos, conforme alerta o Professor e Filósofo Olavo de Carvalho desde o início do seu mandato. É preciso abandonar a estratégia defensiva e partir para a ofensiva. As oportunidades estão aí e as cartas estão na mesa e o Rei adversário em xeque!

O JOGO NO TABULEIRO E AS MOVIMENTAÇÕES DAS PEÇAS – AÇÃO DEFENSIVA

Na ação defensiva, se o cenário acima se consolidar e a parceria Bolsonaro e Neto se firmar para 2022, sendo inevitável para o Governo Federal, já que o mesmo precisa de governabilidade, antes de nós conservadores atacarmos o Presidente criticando tal postura, precisamos apoia-lo, confiando na sua capacidade de julgamento, e ocuparmos espaços. Como disse, ocupar espaços é a principal agenda dos conservadores HOJE!

Um apoio do Governo Federal em uma campanha de ACM Neto para o Palácio de Ondina em 2022 ou mesmo uma chapa Bolsonaro Presidente e Neto Vice-Presidente pode existir, DESDE QUE a ala conservadora ocupe espaços, seja nas Secretarias Municipais da cidade do Salvador, seja nas Secretarias Estaduais no Governo do Estado dessa aliança que poderá se formar para 2022.

Com cargos e espaços ocupados, a ala conservadora terá caminhos de ação para avançar a agenda na cidade do Salvador e no Estado da Bahia. É um trade off que beneficiará fortemente nossos valores e agenda no curto, médio e longo prazo. Será uma vitória imensa para os Conservadores em um cenário em que poderemos amargar uma derrota desastrosa se não soubermos nos posicionar.

Se o PT vencer, serão de quatro a oito anos de petismo no Governo da Bahia. Se o DEM vencer sem a aliança com o Governo Federal, serão de oito a dezesseis anos de carlismo no governo do estado. Em ambos os casos, a agenda conservadora terá seus meios de ação reduzidos na política baiana em um horizonte temporal longo. Levo em consideração eleição, reeleição e sucessão nessa análise, pois esse é o resultado que temos em nosso Estado em nossos últimos ciclos políticos.

CONCLUSÃO

Diante de tudo o que foi exposto, é preciso iniciar de imediato as articulações nesse sentido. Se o cenário que se desenha impossibilitar uma candidatura conservadora independente e alinhada única e exclusivamente com o Presidente Jair Messias Bolsonaro, que secretarias Municipais e Estaduais sejam entregues, como moeda de troca nas concessões de ambos os lados, para conservadores alinhados a agenda que elegeu o presidente em 2018 e não para políticos profissionais. E para isso ocorrer, é preciso sabotar a parceria Bolsonaro e Neto para 2022 e dizer que ela só será possível se conservadores ocuparem espaços.

Eu não tenho problema algum com alianças, desde que elas sejam benéficas para o movimento conservador. O único indivíduo que vejo, na política baiana, capaz de articular essas concessões para o movimento conservador seria o Vereador Alexandre Aleluia. Ele é do DEM e possui ligações com o ACM Neto, além de possuir ligações diretas com o Deputado Federal Eduardo Bolsonaro e o próprio Presidente da República, o Jair Messias Bolsonaro.

As cartas estão na mesa, assim como as peças no tabuleiro e quero ver como será o fim desse jogo. Na vida real, você joga cartas e xadrez ao mesmo tempo. Movimenta várias peças de uma única vez, esconde um Ás na Maga a cada movimentação e adota uma Carta Coringa para cada peça de grande valor movimentada. Nesse jogo de gigantes a pergunta que ninguém sabe a resposta é: quem dará o XequeMate?

Gervazio Lopes é Administrador por formação profissional e Empreendedor na carreira. Ativista do ecossistema empreendedor baiano, desenvolvendo inúmeros projetos de fomento à educação empreendedora para jovens no estado. Possui MBA em Controladoria e Finanças e um MBA em Programação Neurolinguística. Está Vice-presidente da Junior Achievement Bahia na gestão do biênio de 2020-2021 e professor executivo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) nas disciplinas de Empreendedorismo e Inovação e Gestão de Operações. É mentor e coach empresarial, especialista em gestão de processos, planejamento estratégico e estratégias individuais de desenvolvimento pessoal, resolução de conflitos e dinâmica do poder.

Compartilhar