Por Henrique Brinco

O prefeito ACM Neto (DEM) falou ontem sobre a situação dos vereadores, em especial do PV, que devem deixar a sigla para disputar a reeleição no pleito municipal deste ano. Em janeiro, a polêmica dos dirigentes da sigla com os edis chegou ao ápice com a carta de processo disciplinar para expulsão direcionada aos integrantes da sigla com mandato na Câmara Municipal de Salvador (CMS).

O presidente estadual do partido, Ivanilson Gomes (PV), sinalizou que os vereadores soteropolitanos Henrique Carballal, Paulo Magalhães Júnior e Sabá não teriam espaço para tentar a reeleição em 2020. Destes, apenas um deve permanecer na sigla. Questionado sobre o assunto, o prefeito e presidente nacional do DEM garantiu que nenhum dos edis que saírem do PV ficará sem partido até dia 3 de abril.

“Em relação ao vereador Sabá pode ser que ele fique. Carballal também sai. Em relação a Paulo Magalhães Júnior há uma tendência que ele vá para o Democratas, ainda não há martelo batido, mas é um caminho provável. Carballal estamos estudantes três ou quatro alternativas para ele, assim também como a vereadora Marcelle que já foi do PV, não é mais e então não está nessa conta. Nós estamos debruçados nisso, eu Bruno [Reis] e Geraldo Jr sobre essas arrumações. A gente não parou exatamente para fazer essas arrumações. Não vai ficar vereador sem legenda até o dia 3 de abril que é o prazo, isso eu garanto”, disse em coletiva de imprensa durante ordem de serviço de obra em Mata Escura.

Neto também confirmou que o secretário municipal de Sustentabilidade, André Fraga, deverá deixar a pasta para se candidatar a vereador. “Tenho conversado com André Fraga e com Ivanilson [Gomes] vou ter uma reunião com eles. Eu penso que André pode ser potencial candidato a vereador esse ano, mas as coisas vão se arrumar”, afirmou.

Oficialmente, o PV alega que os três vereadores descumpriram o estatuto do partido. Todavia, a saída deles servirá para atrair novos integrantes na sigla e fazer volume de votos suficientes para eleger Fraga.

O prazo da chamada janela partidária termina no dia 3 de abril, seis meses antes do pleito. No dia 4 de abril, todos os partidos que pretendem disputar as eleições devem estar com registro aprovado pelo TSE. O primeiro turno será realizado em 4 de outubro e o segundo turno no dia 25 do mesmo mês.

Pelo calendário eleitoral, elaborado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), órgão responsável pela organização das eleições, o prazo é considerado para a justa causa necessária para a mudança partidária dos detentores do cargo de vereador que queiram concorrer às eleições majoritárias (prefeitura) ou proporcionais (reeleição). Ao trocarem de partido, os parlamentares buscam mais recursos e apoio político para as campanhas.

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

O prefeito ACM Neto também confirmou que vai encaminhar hoje à Câmara de Vereadores o texto da Reforma da Previdência dos servidores municipais de Salvador. O texto, antes mesmo de chegar à Casa, é alvo de críticas dos vereadores oposicionistas. A proposta foi apresentada a uma parte dos edis antes do Carnaval.

“A reforma está fechada, vamos enviar amanhã à Câmara”, disse, Neto durante a ordem de serviços para obras da nova ligação viária entre a BR-324 e o bairro da Mata Escura. Segundo o prefeito se tornou “inevitável” diante do déficit em torno de R$ 7 bilhões. Além das alterações nas alíquotas de desconto dos servidores, que deverá passar de 11% para 14%, a proposta prevê a criação de um Fundo de Capitalização.

Compartilhar