Polêmico e autentico, Sikêra Júnior ficou conhecido em 2017 quando um vídeo em que dizia que “maconheiros morreriam até o Natal” viralizou nas redes. Logo depois, o apresentador sofreu um infarto e, após receber alta médica, fez uma volta triunfal no programa que apresentava na época, “Plantão Alagoas”, da afiliada do SBT em Maceió, surgindo de um caixão. Desde então, sua carreira deslanchou e virou um sucesso —além da grande repercussão na TV, conquistou muitos seguidores na internet; só no Instagram já são mais de 4 milhões de seguidores.

No final de janeiro deste ano, o pernambucano, que mora em Manaus, estreou para todo o Brasil à frente do “Alerta Nacional”, da Rede TV!, e já está batendo recorde de audiência. Em entrevista ao colunista Leo Dias, Sikêra contou que recebeu proposta da Record de São Paulo, mas algumas questões o fizeram recusar: “Estou ganhando bem, entendeu? Me ofereceram grana, mas fiquei pensando: ‘Meu Deus, o dinheiro que vem de Jesus Cristo, que eles pedem para Jesus! Não quero, não vou entrar nessa, dinheiro da igreja, abençoado”, revelou ele, dizendo que já comprou nove carros em um mês para presentear a família.

Sem papas na língua, o apresentador relembrou uma situação cômica: usou Viagra e acabou no hospital, de cueca: “Era aniversário de casamento, minha mulher estava toda vestida de onça, nessa noite ela encheu a casa de vela, aí comecei a me animar”.

Sobre fazer piadas com homossexuais e ser intitulado de homofóbico e misógino, Sikêra afirma não se importar com os comentários: “Isso é palhaçada, não estou nem aí. Não mexendo na folha de pagamento, me chame do que quiser, não me atrapalha em nada. Aprendi a conviver com esse povo também”.

Compartilhar