Presidente do PSD na Bahia, o senador Otto Alencar “lavou as mãos”, na manhã de hoje (28), e disse que não fez “nenhum movimento” para que a senadora Lídice da Mata (PSB) não integrasse a chapa do governador Rui Costa (PT).

“Foi uma composição feita de acordo com o equilibro das forças políticas. De maneira nenhuma, eu posso questionar os valores da senadora Lídice. […] Mas [ela] não pode querer também desmerecer o nosso partido”, afirmou, em entrevista à Rádio Metrópole.

Sobre não ter uma mulher na composição governista, Otto minimizou. Lembrou que, no pleito de 2014, também não tinha e ninguém questionou.

“Naquela época, não foi questionada a presença da mulher, que eu defendo muito. Até porque, o partido que tem mais mulheres no estado da Bahia, com cargos, é o meu partido, o PSD”, salientou. “Claro que eu gostaria de ter uma mulher dentro da chapa. Mas não fiz esforço para retirar… Retirar, não, porque a senadora não estava na chapa. Quem estava na chapa em 2014, fomos nós. Até parece que eu fiz um esforço para retirar ela da chapa. Não, foi uma decisão do Conselho Político”, acrescentou.

O senador fez questão de ressaltar a contribuição do PSD para a eleição de Rui Costa em 2014. Afirmou que “o melhor desempenho do governador” foi nos municípios administrados pelo partido dele. Segundo Otto, houve cidades geridas pelo PSD em que o petista teve mais de 90% dos votos.

Compartilhar