Os Ministérios Públicos da Bahia e mais 16 estados deram início nesta segunda-feira, 21, à quarta edição da ‘Operação Mata Atlântica em Pé’, voltada a coibir o desmatamento e proteger as regiões de floresta que integram o bioma da Mata Atlântica.

Na Bahia, as atividades serão desenvolvidas nas regiões da Costa das Baleias, Costa do Descobrimento e Litoral Norte. O objetivo é identificar e responsabilizar adequadamente os infratores por supressões indevidas de vegetação.

Além do Ministério Público, participam os institutos Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e o Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), e a Polícia Militar. O final das atividades está previsto para o dia 1º de outubro, com apresentação dos resultados no dia seguinte.

Além da Bahia, participam da operação dos estados de Alagoas, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe.

A operação é coordenada pelo Ministério Público do Paraná em âmbito nacional, por meio do promotor de Justiça Alexandre Gaio, que atua no Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Proteção ao Meio Ambiente, Habitação e Urbanismo do MPPR.

Atlas da Mata Atlântica

Desde a primeira edição que a ‘Operação Mata Atlântica em Pé’ utiliza o Atlas da Mata Atlântica, sistema que monitora a situação do desmatamento em todos os municípios do bioma, realizado pela organização não governamental SOS Mata Atlântica em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, com uso de imagens de satélite.

Em 2020 será utilizada também a Plataforma MapBiomas Alerta, um programa de alertas e emissão de relatórios de constatação de desmatamento que usa tecnologias de monitoramento e tratamento de dados desenvolvido pelo projeto MapBiomas, iniciativa multi-institucional que soma universidades, empresas de tecnologia e organizações não governamentais que realizam o mapeamento anual da cobertura e uso do solo no Brasil.

Com o MapsBiomas Alerta vai ser possível obter imagens de satélite em alta resolução para a constatação de desmatamentos recentes. Com as imagens do Atlas da Mata Atlântica e da Plataforma MapBiomas Alerta são definidos diversos polígonos de desmatamento que serão fiscalizados durante a operação.

Compartilhar