Morreu nesta sexta-feira (10), em Salvador, o professor Irton Villas Leão. Geólogo, ele formou-se na primeira turma do curso de Geologia da Universidade Federal da Bahia (Ufba), em 1961, e foi professor do próprio Instituto de Geociências da Ufba (Igeo) desde a década de 1960 até o final dos anos 1990.

Em nota, o Instituto de Geociências e o Núcleo Bahia-Sergipe da Sociedade Brasileira de Geologia lamentaram a partida do professor aposentado e manifestaram “sinceramos sentimentos e solidaridade, aos familiares e amigos do professor”.

A Ufba também emitiu uma nota de pesar sobre a morte de Irton. “Leão teve um importante papel na difusão da Geologia, e sua aplicação às diversas frentes da ciência, da economia e, do conhecimento humano. Segundo depoimentos de amigos e colegas, ele foi uma pessoa plena de empatia e acolhimento, preocupado em ajudar colegas a se colocarem no mercado de trabalho. Em momentos críticos da política nacional, ele apoiou colegas perseguidos pelo regime militar”, diz a nota.

O professor Irton realizou especialização no Instituto Francês do Petróleo (1962) e, enquanto professor do Igeo, ministrou disciplinas na temática de Geologia Econômica, Prospecção Mineral e Recursos Energéticos. Com um perfil nato de empreendedor, foi um dos fundadores do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento (Ceped).

Ele também coordenou a criação e implantação do Centro de Recursos Ambientais (CRA), que deu lugar ao Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema).

Irton Villas Leão deixou esposa – a também professora Zelinda Margarida de Andrade Nery Leão, do curso de pós-graduação em Geologia da Ufba – e três filhas. A cerimônia de cremação ocorreu nesta sexta-feira (10), mas, por conta da pandemia do coronavírus, não houve velório.

Compartilhar