O primeiro módulo auxiliar de saúde foi inaugurado na manhã desta sexta-feira (22), na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) dos Barris, na Praça Dr. João Mangabeira, em Salvador.

O módulo tem estrutura similar aos postos utilizados no carnaval, possui 24 leitos e só vai atender pessoas com síndrome respiratória, incluindo a Covid-19. A unidade foi montada anexa a UPA, e o objetivo é isolar da parte principal da UPA os pacientes com suspeita ou infectados pelo coronavírus.

“Ela é dedicada a síndromes gripais e respiratórias. Será internadas as pessoas que tiverem H1N1, Covid-19 ou qualquer outra síndrome gripal séria”, disse o prefeito ACM Neto, durante inauguração.

Ainda de acordo com o prefeito, a unidade, também chamada de “gripário”, terá 20 leitos clínicos e quatro leitos de estabilização. O módulo vai funcionar 24 horas e contará com 112 profissionais de saúde, entre médicos, fisioterapeutas, enfermeiros especialistas, bioquímicos, além dos técnicos de enfermagem, de radiologia e de laboratório.

Os primeiros pacientes devem ser recebidos a partir das 19h desta sexta-feira. Além dos Barris, o prefeito informou que estão previstas módulos auxiliares nas UPAs Valéria , Pirajá, Paripe, Pau Miúdo e em Bom Jesus dos Passos, ilha que pertence a Salvador.

Ainda na inauguração do “gripário” dos Barris, o prefeito informou que, com o novo módulo, a prefeitura conseguiu dobrar a capacidade de atendimento na UPA do Vale dos Barris, que também já conta com 24 leitos, sendo 20 clínicos e quatro de urgência.

O prefeito detalhou que, com a inauguração dos “gripários”, a projeção de colapso na rede de saúde de Salvador foi estendida para 27 de maio.

“Vamos continuar lutando para que isso [colapso] não aconteça. Matando um leão por dia. Conseguimos adiar, mas isso não pode servir para gente baixar a guarda. A gente vai lutando sempre e continuar empurrando isso, sem ter que viver o colapso”, disse Neto.

Salvador é a cidade da Bahia com maior número de casos da Covid-19. Até a publicação desta reportagem, tinham sido registrados na capital baiana mais de 6,8 mil caos, com mais de 240 mortes.

Para reduzir a curva de casos, a prefeitura de Salvador tem adotado medidas de restrições na cidade, inclusive em bairros da capital baiana.

Nesta sexta-feira, por exemplo, ações restritivas começaram a valer nos bairros de Brotas e Cosme de Farias. Nessa ação, o comércio é fechado e ambulantes ficam proibidos de trabalharem nas ruas. Os comerciantes recebem cestas básicas e são realizados testes de coronavírus em moradores, além daqueles que passam pelas regiões.

Compartilhar