O Ministério da Saúde estuda a eficácia de meia de vacina contra a Covid-19 para a dose de reforço. O estudo é feito em parceria com a Universidade de Oxford e a ideia é saber se as pessoas que receberem a matade de uma dose completa na terceira aplicação ficam igualmente imunizadas. As informações são da coluna de Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo.

No Brasil, a maiorias das capitais já aplica a terceira dose da vacina contra a Covid-19. Em Salvador, idosos com 60 anos ou mais que receberam a segunda dose até o dia 13 de abril estão aptos a receberem a dose de reforço.

A ideia de aplicar a dose de reforço com meia dose do imunizante é para otimizar a aplicação de doses, vacinando o dobro de pessoas com a mesma quantidade. Um resultado eventualmente positivo seria celebrado por autoridades, profissionais de saúde e gestores.

Compartilhar