Profissionais do setor metalúrgico de Camaçari, na região metropolitana de Salvador, iniciaram uma carreata na manhã desta sexta-feira (28) no Espaço 2000, em direção à sede da Justiça do Trabalho, cobrando agilidade pela ação que cobra indenização após desligamento de trabalhadores de uma empresa que prestava serviços à montadora Ford.

De acordo com a categoria, 230 metalúrgicos da empresa foram demitidos em 8 de janeiro, e não receberam os valores devidos.

les afirmam que entraram com uma ação na Justiça do Trabalho no dia 18 de janeiro, dez dias após a demissão, mas até o momento não houve avanço para uma solução.

Grupo iniciou carretada no Espaço 2000, em Camaçari — Foto: Divulgação/Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari

Grupo iniciou carretada no Espaço 2000, em Camaçari — Foto: Divulgação/Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari

O representante do Sindicato dos Metalúrgicos, Daniel Sá Barreto, disse que após o encerramento do vínculo entre a empresa e a Ford, todos os profissionais ficaram de fora do acordo de indenização, o que fez com que a categoria acionasse o caso na Justiça.

“A gente está se manifestando em relação ao acordo que foi fechado na Ford e deixaram a gente de fora. Não somos funcionários terceirizados, somos sistemistas. São conjuntos de empresas dentro do complexo da Ford. Eles [a Ford] não reconhecem a gente e a empresa [que presta serviços à Ford] não se manifestou às nossas reclamações”, disse o representante da categoria.

O grupo afirma também que o sindicato entrou com ação para que os profissionais fossem recontratados, mas não obteve retorno.

Compartilhar