Nesta semana, a 7ª temporada do Masterchef Brasil contou com a participação de um cozinheiro natural de Camaçari. Bruno Iago, que neste sábado completa 28 anos, participou do 10º episódio da atração da TV Bandeirantes, onde contou que deixou a cidade natal após sofrer um sério ataque homofóbico.

“Eu saí da Bahia no dia 29 de setembro de 2014, porque no dia 02 de dezembro de 2012 eu sofri uma agressão homofóbica e quase eu perdi a vida naquele momento. Fiz cirurgia no ombro, oito pontos dentro da boca. Eu sobrevivi. Preto, pobre, baiano e homossexual. Eu nunca desisti”, contou o autônomo à apresentadora Ana Paula Padrão.

O camaçariense, que hoje vive na cidade de São Vicente, em São Paulo, também revelou como começou a cozinhar. “A minha mãe criou três filhos sozinha. Ela estava sem emprego e a única solução que a gente tinha era colher mandioca, ralar e vender a massa na feira todos os sábados. Quando minha mãe começou a trabalhar, ela saía e a gente ficava em casa, porque não tinha ninguém pra cuidar da gente, então a cozinha era a minha brincadeira”.

Na primeira prova, Bruno fez um cheese cake, que foi bastante elogiado pelos chefs Henrique Fogaça, Érick Jacquin e Paola Carosella, o que fez com que o baiano escapasse da eliminação. Já o segundo desafio foi reproduzir um peixe na crosta de sal, que Bruno confessou nunca ter feito. O camaçariense apresentou o peixe com um purê de mandioquinha e molho de tomate com creme de leite.

O prato foi bem avaliado, e o chef Jacquin chegou a dizer a Bruno que ele homenageou suas origens e raízes de uma forma espetacular, mas infelizmente não foi suficiente para fazê-lo vencer o programa. O ganhador foi administrador de empresas, Salvador.

Orgulhoso, Bruno afirmou que foi uma realização participar do Masterchef.

Compartilhar