Marco Rubio, pré-candidato republicano, e Bernie Sanders, democrata, foram os vencedores das prévias das eleições norte-americanas realizadas neste domingo (6) em Porto Rico e no estado do Maine, respectivamente. As duas prévias deste domingo foram realizadas depois de cinco estados definirem seus candidatos no sábado.

Os pré-candidatos Marco Rubio, republicano, e Bernie Sanders, democrata, em eventos eleitorais deste final de semana (Foto: REUTERS/Jim Young/ Alvin Baez)
Os pré-candidatos Marco Rubio, republicano, e Bernie Sanders, democrata, em eventos eleitorais deste final de semana (Foto: REUTERS/Jim Young/ Alvin Baez)

Com a vitória na primária republicana deste domingo, Rubio, senador pela Flórida de 44 anos, soma todos os 23 delegados que estavam em jogo na votação, segundo informa a AP.

Neste território americano, as regras têm peculiaridades: se um candidato alcançar mais da metade dos votos, fica com todos os delegados. Foi o que ocorreu com Rubio. Se ele não tivesse mais de 50%, os delegados seriam divididos proporcionalmente entre os pré-candidatos que alcançassem pelo menos 20%.

Além disso, os porto-riquenhos podem participar das primárias de qualquer partido, mas não podem votar nas eleições presidenciais, mesmo tendo cidadania americana.

Mesmo ganhando todos os delegados de Porto Rico, Rubio está longe dos concorrentes na contagem geral de delegados. Ele tem 151 no total; Ted Cruz tem 300; Donald Trump tem 384.

A vitória de Bernie Sanders, senador por Vermont de 74 anos, no caucus democrata deste domingo é sua terceira deste final de semana e a oitava desde 1º de fevereiro, quando os estados começaram a realizar prévias.

Após a contabilidade neste domingo, a candidata democrata Hillary Clinton 1,130 delagados, enquando Bernie Sanders possui agora 499. Para ganhar a indicação no Partido Democrata, são necessários 2.383 delegados.

Debate
Os pré-candidatos democratas à Presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton e Bernie Sanders, travaram neste domingo um duro debate sobre pobreza e racismo na cidade de Flint (Michigan), onde foram descobertas altas doses de chumbo na água corrente que afetaram a saúde de muitos de seus habitantes.

As diferenças entre os candidatos em torno dos tratados comerciais internacionais também protagonizaram parte do debate, realizado dois dias antes das primárias democratas em Michigan, um estado-chave para ambos os pré-candidatos que foi afetado pelo fechamento de muitas fábricas e unidades do setor do automóvel.

“Estamos esta noite em Flint, Michigan, porque aqui está acontecendo uma horrível tragédia”, afirmou o senador Sanders.

Hillary começou o debate pedindo a renúncia do governador de Michigan, o republicano Rick Snyder, por sua má gestão da crise em Flint, por não ter tratado a água devidamente e pela demora em agir perante a situação.

Sanders pediu há meses a renúncia de Snyder, mas Clinton não o tinha feito até este debate, quando sentenciou que “está chovendo chumbo em Flint, e o estado é negligente ao não dar-lhe os fundos de que necessita”.

A água corrente de Flint foi contaminada depois que a cidade mudou de fornecedor para economizar, sem depurá-la de forma adequada, e suas propriedades corrosivas permitiram que vazassem grandes quantidades de chumbo dos velhos encanamentos pelas quais circulava.

O debate foi sóbrio pelos temas, que incluíram pobreza, racismo e o tiroteio que deixou seis mortos em fevereiro em Kalamazoo (Michigan); mas também pela tensão entre os candidatos.

“Hillary apoiou cada um dos acordos comerciais impulsionados desde 1990”, afirmou Sanders ao denunciar o prejuízo que, segundo sua opinião, esses pactos causaram à economia de Michigan.

“Eu fui contra desde os anos 90. Fui ao México e vi as vidas de gente trabalhando em companhias americanas e ganhando 25 centavos por hora (…) e entendi que não deveria se forçar os trabalhadores americanos a competir com eles”, afirmou Sanders.

Os pré-candidatos falaram também sobre o racismo no país, o abandono de muitas escolas públicas, o meio ambiente e sua opinião sobre o “fracking”, que consiste em usar água pressurizada misturada com areia e químicos para romper as zonas rochosas do subsolo onde ficam armazenados petróleo e gás.

VEJA QUEM VENCEU NAS PRÉVIAS DESTE SÁBADO (5) E DOMINGO (6):

Partido Republicano
Kansas – Ted Cruz
Maine – Ted Cruz
Louisiana – Donald Trump
Kentucky – Donald Trump
Porto Rico – Marco Rubio

Patido Democrata
Kansas – Bernie Sanders
Nebraska – Bernie Sanders
Louisiana – Hillary Clinton
Maine – Bernie Sanders

Cada estado organiza sua votação, que pode ser em formato de primárias ou de caucus.

Tanto primárias quanto caucuses têm duas modalidades diferentes: fechada, na qual votam apenas os eleitores registrados em cada partido, e aberta, em que qualquer eleitor pode votar no pré-candidato que escolher de um dos partidos (mas não nos dois). Alguns estados, como Ohio, Califórnia e Nova Jersey, adotam um sistema misto.

Na mira para republicanos e democratas estarão agora as primárias de Michigan e outros três estados na próxima terça-feira e, depois, a grande batalha de 15 de março: cinco estados decisivos irão às urnas, entre eles o reduto de Rubio, Flórida.

Os Partidos realizam suas convenções nacionais em julho, quando os delegados votam nos candidatos para formalizar seus candidatos à eleição. No dia 8 de novembro os americanos elegem o sucessor do presidente Barack Obama.

Prévias do ‘Supersábado’
Neste sábado, cinco estados realizaram prévias das eleições. Os pré-candidatos Ted Cruz e Bernie Sanders – ambos em segundo lugar na disputa pela indicação dos partidos Republicano e Democrata, respectivamente – mostraram que continuam com fôlego para disputar a nomeação com Donald Trump e Hillary Clinton, que continuam na liderança em cada partido.

Entre os republicanos, Cruz venceu em dois estados (Kansas e Maine) e levou um número maior de delegados do que Trump, que venceu em outros dois estados (Louisiana e Kentucky). Entre os democratas, Sanders venceu em dois (Kansas e Nebraska) e a favorita Hillary Clinton venceu em um (Louisiana).

Marco Rubio saiu de mãos abanando, sem poder capitalizar no ataque da dirigência do partido contra Trump – a elite do partido declarou guerra aberta contra o magnata, temendo que sua candidatura entregue as eleições de novembro de bandeja a Hillary Clinton. Trump pediu ao legislador de origem cubana que abandone a corrida pela indicação.

Cruz também pediu a Rubio e ao governador de Ohio, John Kasich, que se retirem, alegando que o voto anti-Trump continuará dividido enquanto estiverem em campanha. “Se estivermos divididos, Donald ganha”, alertou na noite de sábado.

O dia foi chamado de Supersábado, com referência à Superterça, quando 12 estados definiram os seus favoritos à corrida presidencial.

Compartilhar