Entrevista com o vereador e presidente da Câmara Municipal de Madre de Deus, Marden Filho de Tutuca (PCdoB):

Quais motivos te levou a seguir a carreira política? Quando tudo começou?
O principal motivo foi ver os políticos de Madre daquela época. Fui me apaixonando por aquilo e na escola, especialmente no Colégio Prof. Antônio Balbino, me envolvi no movimento estudantil. Fui eleito líder de classe e, logo em seguida, fiquei em segundo lugar nas eleições do grêmio estudantil. Me tornei o primeiro vice-presidente do grêmio do colégio. De lá para cá, só foi amor pela política, faço porque gosto.

Ser um líder político é fácil? Quais são os principais desafios?
Fácil não é, mas quando trabalhamos com amor conseguimos desempenhar nossas atividades com exatidão. O grande desafio é você se sentir inúmeras vezes impotente e saber que não irá conseguir acalentar todos que você gostaria de acalentar.

Nas eleições desse ano, o seu grupo político ganhou destaque por ter dado a deputada federal Alice Portugal mais de mil votos, colocando-a entre as mais votadas no município de Madre de Deus. Qual a importância desse feito?
Primeiro quero ressaltar parte de sua pergunta sobre a frase: “o seu GRUPO político”.  Dizer que não foi só meu grupo político, foram os grupos de Marden, Melk, Adailton do Suape, Flávio Cirilo e Vado da Cururupeba, que juntos somaram 1002 votos para a deputada Alice. Acredito que política se faz do coletivo e nunca será individual.  Ao invés do “Eu”, prefiro usar o “Nós”.

A importância primeiro é de que fizemos nossa deputada. Não adiantava dá a ela em Madre de Deus mil votos, e ela não conseguisse lograr êxito. Então esse, para mim, foi o maior ganho. Consequentemente mostra também que a comunidade confia em nós, nesse agrupamento que conseguiu se tornar a terceira força política na cidade. E não sou eu quem diz isso, são os números.

Nossos votos ficaram atrás apenas dos votos do prefeito Jeferson e do líder da oposição Dailton Filho, com isso mostramos que estamos vivos dentro do processo.  Essa força política que tivemos, mostra que a comunidade nos respeita e nos reconhece como uma liderança que merece a sua confiança e eu só tenho mesmo a agradecer. Saímos fortalecidos para que possamos engrandecer o debate.

4 – Você já está no seu segundo mandato tendo, inclusive, sido eleito na eleição 2016 como o segundo vereador mais votado de Madre de Deus, com mais de 700 votos. Também foi eleito como presidente da Câmara Municipal. Qual é a meta para os próximos anos?

Nos próximos dois anos irei me dedicar um pouco mais às ações do mandato e estar mais próximo da população, ouvir os anseios e poder, junto com nossa equipe, elaborar um plano de governo que possa aperfeiçoar o que já vem sendo implantado pelo prefeito Jeferson e em um futuro próximo possamos apresentar esse plano pronto para toda comunidade.

Acho que essa meta será crucial para podermos fortalecer cada vez mais o nosso nome como pré-candidato a prefeito de Madre de Deus e, dessa forma, ganharmos musculatura para nos viabilizarmos no processo. Mas quero dizer que sempre com respeito e humildade diante de todos os outros pré-candidatos, inclusive o da oposição. Acredito muito na política do respeito.

Como presidente da Câmara de Madre de Deus, quais foram as principais realizações da sua gestão que merecem destaque?
Sou suspeito a falar de mim mesmo (risos). Fizemos inúmeras mudanças e ações inovadoras, a exemplo do Teatro e Cinema Legislativo; a Escola do Legislativo, sendo a primeira do estado da Bahia a implantar o modelo; a Sessão Itinerante; o Ponto Eletrônico, tornando a Câmara o primeiro órgão público em Madre de Deus a implantar essa tecnologia; o uso da modalidade de pregão para buscar economicidade com o dinheiro público e várias outras ações. Mas essas foram algumas das que eu acho mais importantes.

Tem alguma ação ou medida que você gostaria de ter implementado, mas não conseguiu? Qual e por quê?
Tem sim, as placas solares que reduziria em 95% o consumo de energia elétrica da Câmara. Não conseguimos devido a queda de nosso duodécimo, com isso as dificuldades vieram.

No dia 15 de dezembro você passa o bastão da Presidência do Poder Legislativo para um novo vereador. Da sua parte, existe a preferência por algum candidato? Qual e por quê?
No dia 15 haverá eleição. Eu não posso concorrer regimentalmente para o mesmo cargo, mas ainda estou pensando se irei concorrer a outro cargo na mesa. Porém quero dizer que, apesar da eleição ser interna corpuris, eu sou de dialogar e um desses diálogos foi com o prefeito Jeferson Andrade.

Ele me disse que gostaria que o debate ficasse entre a base do governo, e assim foi feito. O vereador Anselmo saiu com 4 votos (o dele, o de Claudia, Renato e Melk) e o vereador Paulinho de Nalva com 3 votos, todos da bancada do seu partido, o PRB.

Então, eu por ser atual presidente da Casa Legislativa e também amigo dos dois vereadores, mesmo recebendo esse documento aqui agora assinado pelo vereador Paulinho e Val Peças dizendo coisas absurdas e pedindo ao Ministério Público (MP) intervenção no pleito, eu resolvi manter minha preferência silenciada, para evitar maiores rumores.

Inclusive fiz reunião, na sexta-feira passada, com todos os vereadores para explicar o pleito, tirar dúvidas e sugerir que cada um deles colocassem um vereador e um assessor para fiscalizar o processo eleitoral. Aí agora recebo isso aqui (documento pedindo intervenção do MP) assinado por vereador de oposição, que não é meu amigo, apenas colega. Mas assinado também por meu amigo e pessoa que tenho maior apreço.

Ele [vereador Paulinho de Nalva] deixou subir a cabeça. Talvez as influências daqueles que um dia fizeram comigo e hoje fazem com ele. Espero que ele se liberte logo disso. Quero deixar claro a Paulinho que não sinto magoa alguma dele por isso. Entreguei a Deus e já já tudo isso passa.

Daqui a pouco mais de um ano serão realizadas as eleições para prefeito do município. Como você acha que a eleição do novo presidente da Câmara pode influenciar nesse processo?
Acho que a eleição para a Presidência da Câmara precisa ser voltada ao povo de Madre de Deus. Esse seria o ponto ideal. Sobre a influência, acho que ela em mãos erradas hoje apenas poderia prejudicar o povo. Não acredito na influência na eleição em 2020, acredito apenas que possa deixar um nome ou outro em destaque.

Você mesmo fazendo parte do grupo político do prefeito Jeferson Andrade, não “fecha os olhos” para os erros da gestão e, por isso, é visto com maus olhos por alguns agentes políticos da Administração Municipal. Isso te incomoda?
Não! Nunca irá incomodar. Até porque quando falo, eu falo com provas e o prefeito sabe disso. É um direito deles não gostarem de alguns posicionamentos meus, assim como eu discordo do deles.

Qual a sua expectativa para 2019 e o que a comunidade de Madre de Deus pode esperar do mandato do vereador Marden?
Um 2019 de paz, acima de tudo, amor ao próximo e solidariedade, esse é o caminho. A comunidade pode esperar de nosso mandato sempre a parceria e a busca por dias melhores, agora mais à vontade para dialogar nas ruas e apresentar nosso nome, hoje como pré-candidato a prefeito de nossa cidade.

Vou buscar melhorar, auxiliando o prefeito como sempre fiz, só que agora montando um plano de governo a ser apresentado a nossa comunidade e chamando aos demais pré-candidatos para que possamos discutir e debater uma gestão onde a comunidade de Madre saia sempre ganhando.

Compartilhar