A tarde desta segunda-feira, 9, foi marcada pelo encontro entre os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Dilma Rousseff (PT). A reunião foi registrada através da conta pessoal no Twitter de Lula, que afirmou terem conversado sobre o “momento do país”.

Na respectiva publicação, o ex-presidente entre os anos de 2003 e 2010 ainda falou que eles irão derrotar o atual governo de Jair Bolsonaro, ao qual ele classificou como “desastre”.

“Olha quem apareceu por aqui hoje! Muito bom reencontrar essa guerreira e companheira Dilma Rousseff. Conversamos muito sobre o momento que atravessa nosso país. Vamos derrotar esse desastre chamado governo Bolsonaro”, escreveu o petista.

Em maio deste ano, Lula chegou a garantir em entrevista que será candidato na próxima eleição presidencial, que será disputado em 2022. À emissora alemã ARD, no domingo, ele chegou a adjetivar Bolsonaro como “incompetente político” e afirmou que o atual presidente é responsável por destruir a imagem do país internacionalmente.

Lula também comentou sobre a insistência de Jair Bolsonaro na aprovação do projeto do Voto Impresso, que será pautado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), nesta terça-feira, 10. O petista afirmou que o chefe do executivo tem medo de perder a próxima eleição, além de ser preso.

“Bolsonaro tem medo porque sabe que vai perder e ele perdendo tem medo de ser preso”, declarou o ex-presidente durante a entrevista.

Por fim, Lula também descartou a possibilidade de abrir mão de sua possível candidatura como forma de dar espaço para uma “terceira via” que surgiria como um meio termo entre os candidatos de direita e esquerda.

“Tenho um partido político e uma maioria da sociedade que me quer candidato. Por que haveria de abdicar para atender os meus adversários? “, questionou o ex-presidente.

Compartilhar