Por: Henrique Brinco

A deputada federal Lídice da Mata (PSB) reafirmou ontem que é pré-candidata pelo PSB à Prefeitura de Salvador e que o maior desafio da cidade é o combate às desigualdades sociais. Na semana passada, o jornal Tribuna da Bahia revelou que a parlamentar deve retirar o próprio nome da disputa em breve, uma vez que o PSB dificilmente bancará um voo solo sem o apoio de outra sigla robusta.

A parlamentar afirmou que tanto a administração municipal quanto a estadual fizeram importantes intervenções na cidade, “mas a próxima administração precisa focar na melhoria da vida das pessoas”. “Nossa cidade é profundamente desigual que tem sua população de maioria negra que continua vítima do racismo estrutural”, afirmou.

Lídice citou a situação dramática dos vendedores ambulantes da cidade. “Veja o carnaval, veja quem está escrevendo o nome no chão para marcar o seu local de trabalho durante a festa. Os vendedores ambulantes são em geral negros e principalmente mulheres negras. Esta é a dimensão da sustentação familiar num momento em que a economia cada dia mais dificulta as relações de trabalho tradicionais, e que, mais do que nunca a informalidade toma conta das relações de trabalho em Salvador”, concluiu Lídice que foi a única mulher prefeita em mais de 470 anos de fundação da capital baiana.

Dados do IBGE mostram que o Nordeste possui quase 3 milhões de pessoas em situação de trabalho informal, isso até o quarto trimestre de 2019. “E infelizmente Salvador contribui bastante para está triste estatística”, finalizou. Lídice disse que o maior desafio de Salvador é o combate às desigualdades sociais. A parlamentar afirmou que tanto a administração municipal quanto a estadual fizeram importantes intervenções na cidade, “mas a próxima administração precisa focar na melhoria da vida das pessoas”. “Nossa cidade é profundamente desigual que tem sua população de maioria negra que continua vítima do racismo estrutural”, afirmou.

CORONEL

O também pré-candidato Angelo Coronel (PSD), que também deverá retirar o próprio nome em prol da mulher, Eleusa Coronel, voltou a criticar o governador Rui Costa (PT) por ter ido à Polícia Militar da Bahia buscar um nome para concorrer à prefeitura de Salvador – major Denice Santiago, comandante da Ronda Maria da Penha. Para o senador, “não tem necessidade de buscar um nome de fora” da base para ser a pré-candidata do grupo.

“Eu tenho uma visão política, estamos há 16 anos em um grupo onde todos os partidos votaram e fizeram com que esse grupo seja o mais coeso do Brasil hoje. Numa eleição para Salvador, ir buscar um quadro fora da política significa que os internos não servem. Eu vou de encontro a isso, temos quadros considerados e todos têm capacidade de disputar a eleição. Não tem necessidade de buscar um nome de fora”, disse em entrevista ao programa “Direto ao Ponto”, da Rádio 100.

Informações apontam que são grandes as chances de Eleusa Coronel, esposa do senador Angelo Coronel (PSD), ser lançada candidata à Prefeitura de Salvador. Atualmente, o parlamentar é o pré-candidato do partido ao Palácio Thomé de Souza, mas a conjuntura interna caminha para que ele ceda o protagonismo à companheira e passe a atuar nos bastidores.

Procurado pela reportagem, porém, o senador desconversou e disse que sua pré-candidatura está mantida, e poderá contar, inclusive, com o apoio do PP. Neste fim de semana, Coronel participou de uma confraternização com Eleusa, o senador Otto Alencar – que é presidente do PSD na Bahia -, o vice-governador e presidente estadual do PP, João Leão, e o pré-candidato progressista ao Executivo soteropolitano, o deputado estadual Niltinho.

Compartilhar