O Norte da Bahia pode ser a região responsável por abrigar uma das mais importantes províncias minerais do estado. Trata-se da Província Metalogenética do Norte, situada na borda norte do Cráton de São Francisco, onde foram descobertas mineralizações de fosfato, ferro, ferro-titânio-vanádio, níquel-cobre-cobalto, ouro, metais base e terras raras. De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), a Bahia é o quarto maior produtor brasileiro de bens minerais e líder nacional na produção de barita, bentonita, cromo, diamante, magnesita, quartzo, salgema e talco. No primeiro semestre desse ano, a Produção Mineral Baiana Comercializada (PMBC) foi de R$ 2,9 bilhões, numa variação positiva de 43% em relação ao mesmo período de 2019.

De acordo com a Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM), autarquia ligada à SDE, responsável pelas descobertas, a estrutura geológica da Província Metalogenética está relacionada a uma ampla diversidade de ambiências geológicas e intrusões de corpos anorogênicos, historicamente conhecidas como áreas altamente potenciais para mineralização. A área ainda precisa de pesquisas complementares até que se possa afirmar ou descartar a viabilidade para exploração.

“O trabalho desenvolvimento pela CBPM é de fundamental importância para o desenvolvimento mineral do Estado. Quando a empresa lança um edital de oportunidades em negócios minerais, ela poupa os investidores privados de riscos, custos e o longo tempo necessário à prospecção, à pesquisa preliminar, à descoberta e à obtenção da respectiva Portaria de Lavra de uma jazida”, explica o vice-governador João Leão, secretário de Desenvolvimento Econômico.

De acordo com o diretor presidente da CBPM, Antonio Carlos Tramm, a empresa tem bloqueado 156 direitos minerários, em três blocos de pesquisas, denominados Campo Alegre de Lourdes, Remanso e Lagoa do Alegre. “Esta nova descoberta mostra não só a riqueza do nosso solo como a importância que a mineração vai ter no desenvolvimento da Bahia nos próximos anos. A nossa CBPM está trabalhando para trazer novos investimentos para o estado, que gerem emprego e renda de maneira inovadora e sustentável”, afirma.

Viabilidade do projeto

As cidades de Casa Nova, Sento Sé, Pilão Arcado, Campo Alegre de Lourdes e Remanso são os principais centros urbanos da região, interligados pelas rodovias BR-235 e BA-161, configurando uma opção logística e acesso às cidades de Petrolina e Juazeiro. Além disso, a ferrovia TransNordestina, um importante braço ferroviário, está programado para implantação na região e a cidade de Petrolina conta com um aeroporto internacional. Há ainda ampla disponibilidade de água nas proximidades do Lago da Barragem de Sobradinho e a energia elétrica é disponibilizada através de linhas de transmissão do sistema Chesf.

Panorama

A Bahia possui atividade mineral em praticamente todo território. Ano passado, foram comercializados 45 bens minerais, extraídos em 185 municípios por 396 produtores. As principais áreas com atividade mineral estão situadas no semiárido baiano. Há minas de ouro em Jacobina, Araci, Barrocas, Santaluz e Teofilândia. Cobre é encontrado em Jaguarari, Juazeiro e Curaçá. A produção de cromo se concentra em Andorinha, Campo Formoso e Santaluz. Itagibá produz níquel, Maracás, vanádio e em Nordestina há minas de diamante.

Compartilhar