O secretário de Saúde de Salvador, Leo Prates, disse em entrevista realizada na edição desta terça-feira (23) do Jornal da Manhã, que o número de solicitações para transferência de pacientes com Covid-19 para leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em Salvador diminuiu em relação aos últimos dias.

Segundo Léo Prates, nesta terça, 62 pessoas aguardavam leitos na capital baiana. O número na segunda-feira (22) era 99.

“Chegamos a patamares do pico da primeira onda, e hoje chagamos a metade do que tivemos na primeira onda. O indicador ainda é muito duro, estamos trabalhando até zerar fila. Temos 87% de taxa de ocupação leito de UTI. O que nos interessa é conseguir vagar leitos de UTI e leitos clínicos. Ontem regulamos 99 pessoas, acredito que nos próximos oito a dez dias, a gente consiga sentir um reflexo na rede hospitalar de Salvador das medidas de restrição”, disse.

Durante a a entrevista, o secretário lembrou que a fila para leitos de UTI na capital baiana chegou a ter 149 pessoas.

“Há cerca de 20 dias, foi a quinta-feira mais difícil da minha vida,149 solicitações de regulação. Nós rapidamente colocamos poltronas nos corredores da UPA, macas, respiradores que sustentam só um cilindro de de oxigênio para que todos tivessem atendimento, com receio do que pudesse vir a acontecer”, contou Léo Prates.

“Nós já voltamos com patamares da primeira onda, de cerca de metade do que nós tivemos aqui na primeira onda, porém nós temos indicadores que ainda são muito duros e eu me refiro a taxa de ocupação de UTI”.

Léo Prates revelou que espera que o sistema de saúde de Salvador consiga ter um “respiro” em oito a 10 dias.

“Na realidade eu acredito que nos próximos 10, oito dias, a gente já consiga alcançar um reflexo na rede hospitalar de Salvador. Lembrando que a rede hospitalar privada também teve problemas, então em determinado momento, o sistema de saúde perdeu o complemento, um suplemento, como alguns chamam, importante da rede pública e agora com essa diminuição, a gente espera voltar a contar com a participação efetiva do sistema privado no atendimento da população”, afirmou.

O gestor também pontuou que o processo de vacinação segue para idosos de 71 anos ou mais e que a imunização para os trabalhadores da saúde foi suspenso nesta semana. A medida é para reduzir a faixa etária de imunização entre os idosos. A SMS espera vacinar idosos de 69 anos a partir da próxima quinta-feira (25).

“Idosos de 90 ou mais, tinha no meu sistema 6.513, com o recadastramento, passamos a ter 7.816, e já vacinamos mais de 12 mil idosos. Estamos vendo pelo sistema de sucesso, muita gente migrando para cá, inclusive de outros estados”, revelou Léo Prates.

Compartilhar