Preso em flagrante após sequestrar um ônibus e depredar coletivos em duas garagens em Salvador nesta segunda-feira (24), Estêvão Cardoso Marques deverá ser internado no Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico, conforme decidiu o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA).

De acordo com a corte, o homem possui relatório psiquiátrico e ficha de acompanhamento do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) com diagnóstico de esquizofrenia. O documento da decisão pelo internamento cita que ele havia sido afastado do trabalho por tempo indeterminado. Segundo a juíza Ivana Carvalho Fernandes, há sérios indícios de que Estêvão possui transtorno mental, suspeita reforçada também pela polícia, que solicitou instauração de um procedimento de Incidente de Insanidade Mental.

A justiça solicitou que Estêvão seja submetido a exame médico psiquiátrico e a internação provisória do homem, que é ex-funcionário de empresa de ônibus. Contrariando o desejo do Ministério Público da Bahia (MP-BA), a juíza negou o pedido de prisão preventiva para ele, já que supostamente ele não teria capacidade suficiente de entender a gravidade do que cometeu.

Diante dos indícios de insanidade mental e dos crimes praticados com ameaça — já que ele teria usado um facão para sequestrar o ônibus —, o TJ-BA apontou a possibilidade de Estêvão repetir os atos. Para o tribunal, ainda não há provas periciais que concluam que o homem é incapaz de responder pelos seus atos.

Compartilhar