No primeiro jogo fora de casa pelo Campeonato Brasileiro, o Bahia terá pela frente um adversário que vive ambiente conturbado. O São Paulo foi derrotado pelo Vasco no fim de semana, o que motivou críticas direcionadas ao elenco, diretoria e ao técnico Fernando Diniz. Diante de um rival pressionado, o Tricolor baiano entra em campo nesta quinta-feira, às 20h (de Brasília), no Morumbi, para manter os 100% de aproveitamento na Série A.

Titular nas vitórias sobre Coritiba e Bragantino, Juninho Capixaba não considera que a fase do São Paulo possa ser utilizada pelo Bahia como um trunfo. Para o lateral, as críticas podem até servir de combustível para o time paulista.

– A gente vai lá para fazer os jogos que fazemos dentro de casa, sem pensar que vamos encontrar um São Paulo em má fase, sem jogar. Muito pelo contrário. O São Paulo vai querer ganhar por causa da má fase. Temos que entrar lá, brigar com eles e, nos detalhes, saber aproveitar as oportunidades para sair com o triunfo.

Na última semana, o Bahia disputou duas partidas dentro de casa pela Série A e conquistou dois triunfos. Agora, o Tricolor terá uma sequência fora, contra São Paulo e Ceará. Juninho lembra que é importante voltar para Salvador com pontos na bagagem para seguir na parte de cima da tabela de classificação.

– Acho que fazer o papel de casa é o mais importante. A gente tem que sempre fazer o papel de casa para buscar pontos fora. Não só a equipe do Bahia, mas todas que disputam o Campeonato Brasileiro pensam assim. O papel de casa é o principal para poder ir fora e buscar pontos, se possível, triunfos também.

Para buscar pontos fora de casa, Juninho afirma que o Bahia precisa manter uma postura agressiva. A ideia é atuar como se estivesse em Salvador, mesmo a milhares de quilômetros de distância.

– A estratégia não pode mudar. Temos que continuar mantendo o que estamos fazendo nos jogos. Isso nos ajuda a crescer. Quanto mais tempo mantermos essa postura dentro de campo, a gente vai se comportar bem. Apesar da pandemia ajudar fora. Jogar com pressão do adversário, torcida, que as vezes empurra, a gente as vezes acaba retrancando, o que é normal. Mas acho que pode ser uma postura importante para a gente.

Com seis pontos, o Bahia ocupa a 4ª colocação da Série A. Adversário de quinta-feira, o São Paulo aparece na 11ª posição, com três pontos.

Compartilhar