Nenhum jogo no ano é mais importante que o deste domingo (25) para o Vitória. Quando a bola rolar no Barradão, às 16h (horário da Bahia), contra o Grêmio, o futuro do Leão estará no bico da chuteira dos jogadores que vestirão a camisa vermelha e preta na penúltima rodada do Brasileirão.

O duelo pode manter a equipe rubro-negra com esperança de escapar do rebaixamento ou selar de uma vez a queda para a segunda divisão. “Não vou pensar no pior agora, temos esperança nesses dois jogos. Vamos continuar lutando e trabalhando para nos apegar a essa esperança. É o que nos move agora”, comentou o técnico João Burse. Depois do Grêmio, o Vitória pegará o líder Palmeiras, dia 2 de dezembro, no Allianz Parque, em São Paulo, na última rodada.

Para continuar respirando na Série A, o Vitória precisa acabar com o jejum e vencer no Barradão. A última vez que o time comemorou um triunfo como mandante foi no dia 9 de setembro, quando venceu o Vasco por 1×0, com gol de Erick.

De lá pra cá, lamentou derrotas para Atlético-PR (2×1), São Paulo (1×0), Santos (1×0) e Botafogo (4×3), além de empates com Bahia (2×2) e Corinthians (2×2).

João Burse vai reencontrar o Grêmio. Ele era o técnico interino do Vitória quando o rubro-negro foi goleado pela equipe gaúcha no primeiro turno. Naquele 12 de agosto, o técnico amargou a goleada por 4×0 e entregou o cargo na rodada seguinte para Paulo Cézar Carpegiani.

Em 4º lugar na tabela, o time treinado por Renato Gaúcho soma 62 pontos e já está  garantido na Libertadores, porém ainda não tem vaga na fase de grupos assegurada, porque o São Paulo, 5º colocado, tem a mesma pontuação.

Tem que secar
Vencer o Grêmio é uma questão de sobrevivência, mas não será suficiente para permanecer na Série A. Vice-lanterna do campeonato, o Vitória já não depende apenas das próprias forças.

Por isso, o torcedor rubro-negro precisará também torcer por tropeços de rivais. Com 36 pontos, o Leão só pode chegar no máximo a 42, atual pontuação de Fluminense, Vasco e Ceará, 13º, 14º e 15º colocados, respectivamente. Atenção também para a Chapecoense, primeiro time fora da zona de rebaixamento. Em 16º lugar, a equipe catarinense tem 40 pontos.

Diante desse cenário, para não ser rebaixado já nesta penúltima rodada, o Vitória precisa vencer o Grêmio e torcer para que uma dessas quatro possibilidades aconteça: Vasco ou Ceará ou Fluminense perder ou Chapecoense não vencer.

“Temos que abraçar e nos agarrar nessa possibilidade. Serão dois jogos dificílimos, mas serão jogos que teremos que ganhar. Então temos que continuar trabalhando. A gente sabe da dificuldade e da responsabilidade. Não podemos fugir dessa responsabilidade. Temos que continuar lutando”, afirmou Burse.

De acordo com a Universidade Federal de Minas Gerais, a probabilidade de rebaixamento é de 99,07%. Se empatar com o Grêmio, o Vitória ainda assim pode chegar à última rodada com chance de escapar. Para isso acontecer, a Chapecoense precisa perder para o Corinthians e o Sport não pode vencer o São Paulo, ambos fora de casa. A matemática dá esperança, mesmo que remotíssima, mas o Leão precisa fazer a parte dele. Se perder neste domingo, já sai de campo rebaixado.

Escalação
O Leão terá novidades. O lateral direito Jeferson e o atacante Lucas Fernandes cumpriram suspensão diante do Cruzeiro e estão de volta. Outro que fica disponível é o atacante Luan. Ele não joga após quatro meses, após duas lesões em sequência.

Em contrapartida, o volante Rodrigo Andrade, que lesionou o ombro na derrota de 3×0 no Mineirão, não se recuperou e está vetado. O zagueiro Ramon também fica de fora, mas por opção técnica.

O técnico João Burse não divulgou a escalação, mas o Vitória deve começar o jogo contra o Grêmio com: João Gabriel, Jeferson, Aderllan, Lucas Ribeiro e Benítez; Willian Farias, Léo Gomes e Rhayner; Lucas Fernandes, Léo Ceará e Erick.

Compartilhar