Chegou a hora. Quando entrarem em campo neste domingo (21) contra Brusque-SC e Floresta-CE, no jogo de volta das quartas de final da Série D, Juazeirense e Jacuipense vão disputar mais do que uma vaga na Série C de 2020. Embora o acesso nacional por si só já signifique muito para as duas equipes baianas, o contexto torna as partidas ainda mais preciosas.

Se não conseguirem o acesso, os dois times vai ficar sem calendário no segundo semestre da próxima temporada. E isso tem um impacto grande na saúde técnica e financeira dos clubes. A ausência de calendário é sinônimo de não ter jogos, nem renda.

Isso porque a dupla se deu mal no Campeonato Baiano, que ofereceu duas vagas para a Série D do próximo ano – e ficaram com Bahia de Feira e Atlético de Alagoinhas, respectivamente vice-campeão e terceiro colocado. A outra vaga é destinada para o campeão da Copa Governador do Estado, agendada pela FBF para os meses de novembro e dezembro. Se não houver quórum, cai no colo do Vitória da Conquista, quarto colocado no estadual.

“Eu sei a importância do jogo para este ano e para o ano que vem. Sei como é bom voltar pra casa classificado, desfilar no carro de bombeiros em Juazeiro, a importância de um acesso nacional, mais uma vez. A expectativa é das melhores. Mais uma oportunidade de acesso para ficar na história do clube e da cidade”, comenta o zagueiro Emílio, 33 anos, remanescente da campanha vitoriosa de 2017 e do rebaixamento de 2018.

Emílio está na Juazeirense desde 2017 e busca o segundo acesso à Série C (Foto: Carlos Humberto/Agência CH)

Para viver o futuro, no entanto, é preciso garantir o presente. E o foco de Juazeirense e Jacuipense é o acesso. O Cancão venceu o confronto de ida contra o Brusque, em Juazeiro, por 1×0 e precisa de um empate no estádio Augusto Baier, às 16h, em Brusque, no interior de Santa Catarina. Se conseguir, será o segundo acesso de um clube que fez história em 2017, quando se tornou o primeiro – e até agora único –  baiano a subir para a Série C. Em caso de derrota por um gol de diferença, o classificado será conhecido nos pênaltis.

O técnico Maurílio Silva terá o retorno do meia Clebson, autor de dois gols no campeonato. Um deles contra o Patrocinense, que carimbou a passagem para as oitavas de final.

A Juazeirense está na quarta temporada consecutiva disputando algum campeonato após o Baiano. Além da Série C que jogou no ano passado, o Cancão de Fogo esteve na Série D nos anos de 2016, 2017 e no atual.

O Jacuipense do técnico Jonilson Veloso quer confirmar toda a epopeia na competição com o primeiro acesso de sua história. No jogo de ida, contra o Floresta, o empate por 2×2 no estádio Presidente Vargas, em Fortaleza, foi suado: depois de abrir o placar, tomou a virada e empatou graças ao gol de Wesley aos 42 minutos do segundo tempo.

Agora no estádio Eliel Martins, em Riachão do Jacuípe, o Leão do Sisal vai contar com o retorno do meia Danilo Rios para buscar a vitória necessária para garantir a vaga na Série C. A partida começa às 15h. Em caso de empate por qualquer placar, a decisão irá para os pênaltis.

Compartilhar