Neste ano, a Itália esteve sob os holofotes por ter se tornado um dos lugares mais afetados pela pandemia de coronavírus no mundo. Nem todos sabem, porém, que o país já foi palco para outras histórias envolvendo doenças infecciosas e quarentenas.

Uma delas aconteceu na ilha de Poveglia, hoje parte da região metropolitana de Veneza, cercada pela água do mar Adriático. Entre os séculos 18 e 19, ela funcionou como local de internação para pessoas que tinham ou poderiam ter enfermidades contagiosas.

Lá foram confinados, por exemplo, viajantes que chegavam com embarcações ao porto local e até mesmo locais que apresentavam sintomasde doenças infecto-contagiosas.

A ilha de Poveglia, que já foi usada como abrigo para doentes e manicômio - Getty Images

A ilha de Poveglia, que já foi usada como abrigo para doentes e manicômio

Imagem: Getty Images

Porém, apesar do esforço sanitário, uma legião de doentes enviados à ilha encontrou um fim trágico: muitas pessoas faleceram no local e, segundo relatos, há restos mortais de milhares de indivíduos enterrados neste pedaço de solo.

Lugar mal-assombrado?

Poveglia pode ser vista de diversas partes da cidade e chama a atenção com a torre de uma de suas edificações, no meio de muita vegetação.

Apesar de ser uma atração para turistas que, em tempos pré-coronavírus, realizavam passeios de barco ao redor de Veneza, é alvo de bastante receio de muitos nativos. Isso porque carrega a fama de ser mal-assombrada.

Ruínas do Hospital da ilha de Poveglia - Getty Images

Ruínas do Hospital da ilha de Poveglia

Imagem: Getty Images

Além de haver sido palco da morte de pessoas com doenças infecciosas, a ilha abrigou, no século 20, um manicômio. E, segundo uma das lendas envolvendo esse pedaço de terra, um médico se matou na ilha após ser perseguido por fantasmas de pacientes falecidos no instituto psiquiátrico.

Cenários de terror

Poveglia passou as últimas décadas abandonada e, hoje, abriga lugares de arrepiar.

Ruínas do Hospital da ilha de Poveglia - Getty Images

Ruínas do Hospital da ilha de Poveglia

Imagem: Getty Images

Grande parte do interior de seus edifícios está em ruínas, com vegetação entrando pelas janelas, telhados colapsados e paredes que parecem poder cair a qualquer momento.

Os corredores do antigo hospital são escuros e lúgubres – e os quartos que um dia abrigaram enfermos expressam uma solidão terrível, alguns ainda abrigando camas enferrujadas.

E, por todo esta história e cenário, existe muita gente em Veneza que acha que a ilha é habitada por fantasmas.

Outros “lazzaretti”

Complexos sanitários parecidos com o que existiu na ilha Poveglia são chamados, na Itália, de “lazzaretti”.

Ilha Manoel, em Malta - Getty Images

Ilha Manoel, em Malta

Imagem: Getty Images

Entre os mais conhecidos deles está o “lazzaretto” da Ilha Manoel, em Malta, que foi usado, por exemplo, para abrigar pacientes durante uma epidemia de cólera ocorrida no século 19. Sua imponente estrutura à beira-mar chama a atenção na paisagem que compõe o arquipélago.

Já na turística cidade croata de Dubrovnik, também se destaca um complexo que, no passado, operou como estação de quarentena.

O lazzaretto histórico de Dubrovnik construído em 1642 - Getty Images

O lazzaretto histórico de Dubrovnik construído em 1642

Imagem: Getty Images

Localizado a cerca de 300 metros das famosas Muralhas de Dubrovnik, este local impressiona turistas com sua estrutura grandiosa, que mais lembra uma fortaleza preparada para repelir ataques navais.

Compartilhar