Com investimento de R$ 6,5 milhões, a Brisa Indústria de Tecidos Tecnológicos vai ampliar e modernizar sua unidade industrial no município baiano de Simões Filho. A empresa, que fabrica falsos tecidos, tecidos impregnados e chapas (laminados de poliuretano), especificamente, utilizados na produção de calçados e moda, vai gerar 15 novos postos de trabalho diretos, 28 indiretos e manter os 129 empregos já existentes. A previsão é que o aumento da capacidade de produção seja de 777,7 mil metros por ano e que as obras sejam finalizadas em dezembro de 2023. O protocolo de intenção foi assinado na secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), na quarta-feira (26).

“A cada protocolo assinado, temos a certeza de que estamos no caminho certo. Trabalhamos muito para manter o ambiente de negócios saudável na Bahia para que novas empresas sejam atraídas e outras, como essa que assinamos protocolo, possam ampliar sua presença no estado, garantindo emprego e renda para o município onde ela está instalada”, destaca o vice-governador João Leão, secretário da SDE.

Segundo o diretor da empresa, Luiz Carlos de Oliveira Gordilho Filho, somando a quantidade de pessoas empregadas e famílias beneficiadas pelos programas sociais, a Brisa beneficia cerca de 400 pessoas que trabalham direta ou indiretamente no projeto. A produção atual é mais de 1,3 bilhão de metros por ano e a prevista é de mais de 2,1 bilhão de metros/ano.

“O projeto de modernização da companhia prevê investir na melhoria da eficiência do processo de produção, assim como no aumento da competitividade empresarial perante os concorrentes e maior sustentabilidade na área ambiental. Além de proporcionar um ganho de receita para a companhia, por consequência, serão gerados mais tributos para o estado e um incremento significativo no fundo de participação do município. A Brisa assume o compromisso firmado em manter 80% do quadro funcional com moradores locais”, explica o empresário.

Compartilhar