Por Ricardo Bomfim – Infomoney

O Ibovespa opera entre perdas e ganhos nesta sexta-feira (26) depois de subir forte na véspera. O desempenho errático hoje vem em meio à preocupação com o avanço do coronavírus nas diversas regiões do mundo. Um movimento de zeragem de posições compradas também é comum antes do fim de semana.

Lá fora, os índices futuros dos Estados Unidos também recuam depois de subirem forte ontem. Foram divulgados os testes de estresse realizados pelo Federal Reserve nos bancos. O Fed concluiu que o desemprego pode permanecer alto nos EUA e a economia pode não se recuperar por alguns trimestres, o que levaria os bancos a terem US$ 700 bilhões em perdas com empréstimos.

Apesar disso, o mercado recebeu bem as medidas tomadas por autoridades regulatórias para flexibilizar as regras de Volcker e permitir que bancos aumentem seus investimentos em fundos.

Na outra ponta, as bolsas europeias refletem as declarações da presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, de que o pior da crise já passou.

No Brasil, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que irá prorrogar o auxílio emergencial, mas com parcelas menores. A medida deve elevar ainda mais os gastos do governo, mas em uma proporção menor que a primeira rodada de ajuda às pessoas que perderam a renda durante a crise econômica decorrente da pandemia do novo coronavírus.

Às 10h15 (horário de Brasília) o Ibovespa tinha queda de 0,21% a 95.780 pontos.

Enquanto isso, o dólar comercial sobe 1,93% a R$ 5,4283 na compra e a R$ 5,4304 na venda. Já o dólar futuro para julho opera em alta de 1,49% a R$ 5,436.

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2022 sobe 2 pontos-base a 2,99%, o DI para janeiro de 2023 tem alta de 1 ponto-base a 4,10% e o DI para janeiro de 2025 avança 1 ponto-base a 5,77%.

Com o ressurgimento dos casos de coronavírus em regiões que reabriram sua economia, foi registrado mais de 37 mil casos de Covid-19 nos Estados Unidos em um só dia, o maior número já registrado. A maior economia do mundo tem mais de 2,4 milhões de contaminados.

Os governadores de alguns estados norte-americanos revertem planos de reabrir as atividades após país ter o maior salto em casos de coronavírus. A cidade de NY, contudo, ruma para acionar mais uma etapa de reabertura em 6 de julho, que incluirá aval para refeições dentro de restaurantes, esportes em equipe e serviços de beleza.

Saneamento básico

A aprovação do novo marco regulatório para o saneamento básico animou potenciais investidores, segundo reportagem do jornal “Folha de S. Paulo“.

Além dos operadores tradicionais, fundos americanos, como o Macquarie, canadenses e do Oriente Médio já teriam contratado assessorias técnicas para avaliar as oportunidades do segmento.

Entre estrangeiros, há ainda grupos como o espanhol Acciona e os chineses CGGC (Grupo Gezhouba) e CREC 4 (Grupo CTCE), interessados em concessões no ramo.

Auxílio emergencial

O presidente Jair Bolsonaro confirmou que o auxílio-emergencial deve ser prorrogado por mais três meses, mas será reduzido gradualmente para parcelas de R$ 500, R$ 400 e R$ 300.

Inicialmente, o auxílio proposto pelo governo em março era de R$ 200, mas o Congresso alterou a medida provisória e elevou o valor.

A prorrogação no formato apresentado pelo presidente pode gerar um impacto negativo de até R$ 100 bilhões aos cofres federais. Até o momento, o governo já liberou R$ 152 bilhões para o pagamento das três primeiras parcelas, segundo o jornal “Folha de S. Paulo“.

A declaração do presidente foi feita durante transmissão em redes sociais. Ao lado de Bolsonaro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, reafirmou que a economia brasileira deve surpreender e se recuperar mais rápido que os demais países.

Para o ministro, o Fundo Monetário Internacional (FMI) vai errar sua estimativa de retração de 9,1% para a atividade brasileira neste ano.

“A previsão do FMI, por exemplo, é de queda de mais de 9%. Eu acho que eles vão errar. Eu acho que pode ser menos do que isso”, disse.

Ainda no radar político, o Datafolha apontou que a popularidade do presidente Jair Bolsonaro ficou estável na semana seguinte à prisão do ex-assessor de sua família Fabrício Queiroz. Segundo pesquisa do Datafolha, Bolsonaro manteve sua aprovação em 32%, o mesmo índice do fim de maio (33%). A rejeição ao governo é de 44%, ante 43% da rodada anterior, enquanto os que avaliam Bolsonaro como regular estacionaram nos 23% (eram 22%).

Panorama corporativo

O Banco Carrefour, controlado pelo Carrefour Brasil, recebeu autorização do Banco Central para operar como um banco múltiplo, segundo o jornal “O Estado de S. Paulo“. A partir de agora, a instituição poderá oferecer novos produtos como investimentos, previdência privada e novas opções de crédito.

O primeiro passo dessa autorização é que o banco agora pode fazer todo o processamento das cobranças internamente, desde a emissão de boletos até a liquidação dos pagamentos.

Já o presidente da Azul, John Rodgerson, afirmou que é errada a ideia de que o governo irá dar recursos ao setor aéreo. “Eles estão dando dinheiro com um grande retorno, com juros, e estão salvando imposto para o futuro”, disse, segundo reportagem do jornal “Folha de S.Paulo“.

O executivo afirmou ainda que o compartilhamento de voos anunciados entre Latam e Azul é só uma estratégia para salvar a indústria e não encerra a rivalidade da dupla.

A Forjas Taurus, por sua vez, conseguiu junto aos credores uma carência para posterior reescalonamento de suas dívidas. Esse “waiver”, que é a dispensa do cumprimento de uma obrigação, dispensa do pagamento de prestações de junho de 2020 até 31 de agosto de 2020

Com isso, a companhia faz um novo aditamento para sua dívida e reescalonamento do pagamento do principal, que ocorreria em junho de 2020, no valor aproximado de R$ 123 milhões. “O montante será adequado ao fluxo de caixa futuro da companhia e diluído nos próximos 31 meses”, informou, em comunicado.

Compartilhar