Por Ricardo Bomfim – Infomoney

 

O Ibovespa Futuro abre em queda nesta quinta-feira (28) em um clássico movimento de “sobe no boato, cai no fato” após o presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionar o pacote de ajuda a estados e municípios vetando o dispositivo que aumentava os salários de servidores públicos no último dia do prazo. Nas últimas sessões, o índice subiu de maneira relevante.

Lá fora, as bolsas seguem em alta, ainda que com ganhos mais modestos em relação às últimas sessões, repercutindo as esperanças com um reaquecimento da economia em meio à reabertura dos comércios em diversos países e com os avanços da ciência no desenvolvimento de uma vacina contra o coronavírus.

Na Europa, os investidores avaliam o pacote de estímulo que totaliza 2,4 trilhões de euros (o equivalente a US$ 2,6 trilhões) em gastos totais para combater os impactos do coronavírus na economia.

Por outro lado, a China elevou a aposta nas tensões com os Estados Unidos e o Legislativo do país aprovou a controversa lei de segurança nacional para Hong Kong.

Já no Brasil, a taxa de desemprego subiu para 12,6% no trimestre até abril, apontou a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A expectativa, segundo consenso Bloomberg, era de que a taxa de desemprego no Brasil iria acelerar para 13,3% no mês passado.

Às 09h15 (horário de Brasília) o contrato futuro do Ibovespa para junho caía 0,7% a 87.395 pontos.

Já o dólar comercial tinha alta de 0,68%, a R$ 5,3176 na compra e R$ 5,3188 na venda. O dólar futuro para junho subia 0,63% a R$ 5,309.

Compartilhar