Por Ashley Malia

Com cerca de 234 casos confirmados do novo coronavírus, o Brasil entrou em alerta para evitar que a doença se espalhe ainda mais no país. A recomendação dos órgãos de saúde e vigilância é de fiscalização reforçada, principalmente, para passageiros que desembarcam de países com maiores índices de covid-19. Entretanto, segundo o relato do administrador Vitor Specht, 38 anos, ao jornal A Tarde, essa fiscalização não aconteceu no Aeroporto de Salvador.

De acordo com Vitor, que acabou de voltar da Espanha junto com a filha de 4 anos, o desembarque no Aeroporto Internacional de Salvador ocorreu normalmente, sem nenhum tipo de abordagem ou atendimento, mesmo que tenha voltado do segundo país com maior número de novos infectados.

“Não houve nenhum tipo de abordagem, de atendimento, de cuidado, comigo e com os outros. Eles deixam entrar mesmo e depois veem no que vai dar”, contou.

O administrador contou ainda que, após sair do aeroporto, se dirigiu com a filha até uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) em busca de um exame, mesmo que não estivesse apresentando nenhum sintoma, mas para garantir que tudo estivesse correto com a própria saúde e a da filha. Segundo ele, a equipe se recusou a fazer os exames, alegando que os custos eram muito altos e que só eram feitos em pessoas que apresentaram sintomas.

“Um amigo chegou a fazer o exame no mesmo lugar, mas ele precisou afirmar que estava com sintomas como tosse para que lhe atendessem”, disse.

No momento, Vitor Specht e sua filha de 4 anos estão em quarentena em uma pousada, localizada na Barra. Ele contou que tomou a decisão de se isolar, pois não quer correr o risco de acabar infectando as pessoas ao seu redor.

“O único contato que tive hoje com outras pessoas foi na hora do café, mas me mantive afastado, fiquei lá no cantinho, não deixei ela [filha] circular. Quando fui entregar os pratos avisei ao atendente que não tínhamos nenhum sintoma, mas voltamos da Espanha, para ele ter cuidado, passar álcool gel…”, explicou.

Em contato com a assessoria do Aeroporto Internacional de Salvador, o jornal questionou sobre as medidas de segurança que estariam sendo tomadas no local. Segundo a assessoria, o aeroporto está veiculando avisos sonoros e visuais, seguindo as recomendações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Já a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), afirmou que os exames nas unidades de saúde são realizados apenas em pacientes sintomáticos.

Compartilhar