O Governo da Bahia entrou no sábado (16) com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para que o estado possa fazer a compra direta da vacina russa Sputnik V. Um acordo de cooperação para 50 milhões de doses já havia sido assinado em setembro.

Na sexta-feira (15), o governador Rui Costa já tinha informado nas redes sociais sobre a possibilidade de entrar com a ação. No entanto, a ação só foi ingressada na noite de sábado (16).

“Determinei à Procuradoria Geral do Estado da Bahia que ingresse com uma ação no Supremo Tribunal Federal para que possamos efetivar a compra direta da vacina russa Sputnik V, com a qual já assinamos um acordo de cooperação para o fornecimento de até 50 milhões de doses”, informou Rui Costa nas redes sociais.

O governador destacou que o pedido seria feito para evitar mais mortes de baianos e brasileiros pela Covid-19.

“Não podemos assistir passivamente baianos e brasileiros morrendo diariamente diante da incapacidade do Governo Federal. Se eles não têm capacidade de fazer nada, melhor que peçam demissão ou renunciem. O povo brasileiro não merece ser maltratado e humilhado. Precisamos reagir!”, enfatizou.

Plano de vacinação

O plano de imunização estadual contra a Covid-19 foi divulgado pelo governo da Bahia na sexta-feira (15). Ele será dividido em quatro etapas e cada fase da campanha de vacinação terá a duração de um mês.

De acordo com o governo do estado, estão previstas 5.114 salas de vacina em todo o estado e serão necessárias 10,2 milhões de seringas e agulhas, considerando que os imunobiológicos possuem duas doses.

Segundo informações da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), é possível que os idosos com mobilidade limitada ou que estejam acamados sejam vacinados em casa.

Nos centros urbanos, o drive-thru será estimulado e no caso dos profissionais de saúde que trabalham nos hospitais, a vacinação ocorrerá nas próprias unidades.

O plano de vacinação estadual é semelhante ao de Salvador, divulgado pelo prefeito Bruno Reis, na terça-feira (12). Na ocasião, ele detalhou que a capital pode aplicar 100 mil doses por dia e que tem material para a vacinação, assim como os locais de armazenamento.

Compartilhar