A informação de que o vereador e presidente da Câmara de Salvador, Geraldo Júnior (SD), poderia migrar para o PDT gerou uma polêmica no meio político soteropolitano.

Presidente da legenda pedetista na Bahia, o deputado federal Félix Mendonça Júnior não gostou da ideia. “O PDT não é barriga de aluguel”, reagiu o dirigente em entrevista o site Bahia Notícias.

O PDT tem como pré-candidato o secretário municipal de Saúde de Salvador, o deputado estadual licenciado Leo Prates. O auxiliar do prefeito ACM Neto, inclusive, foi às redes sociais dizer que seria uma honra ter o presidente da Câmara no PDT, mas disse que não houve conversa para eventual chegada do vereador.

“Tenho em Geraldo Júnior um grande amigo e conselheiro. O mesmo nunca me procurou para tratar de ingresso no PDT. Seria uma honra para o trabalhismo ter Geraldo Júnior entre seus quadros, mas entendo o compromisso dele com o bloco MDB, SD, PSC, PTB e SD”, disse Prates.

Diante da reação de Félix Júnior, Geraldo Júnior retrucou. “Se o PDT fosse barriga de aluguel, sob o comando dele, ninguém ia querer alugar e ele ia morrer de fome. São elucubrações”, considerou.

Compartilhar