Todo mundo é capaz de reconhecer a aparência de um furúnculo. No começo ele é apenas uma erupção vermelha e dolorida na superfície da pele que, depois, se transforma em uma pequena bolsa com pus.

Diferente de uma espinha comum, porque é mais profundo e causa maior dor, é também conhecido como abscesso de pele.

Embora se trate de uma infecção comum, somente 2 em cada 100 consultas em atenção primária decorrem dessa queixa. O furúnculo pode variar em tamanho, acometer qualquer área do corpo, mas geralmente se manifesta em regiões onde haja uma combinação de pelo, suor e fricção. Rosto, axila, pescoço e coxas são alguns exemplos.

O furúnculo pode se desenvolver entre 2 dias a 3 semanas e, após a drenagem do pus, precisa de mais de 1 semana para cicatrizar. Pode até acontecer de ele se resolver espontaneamente, mas a depender de sua gravidade, será necessária ajuda médica.

Por que isso acontece?

Na maioria das vezes esse abscesso tem como causa uma infecção bacteriana, sendo a mais comum a por Staphylococcus aureus —uma bactéria que pode ser encontrada na superfície cutânea de muitas pessoas sem que cause algum tipo de problema.

Contudo, pode acontecer de ela penetrar na pele por meio de um folículo (bolsa que acomoda o pelo na pele), de uma picada ou um machucado.

Outras bactérias também podem estar relacionadas, como a KlebsiellaEnterobacter, e espécies de Proteus.

O uso de roupas apertadas é outro fator que pode desencadear o aparecimento de furúnculos.

Saiba reconhecer sintomas

O tamanho do abscesso pode variar entre o caroço de uma cereja e uma noz. Você ainda poderá observar as seguintes manifestações:

  • Calor e vermelhidão locais;
  • Presença visível de pus.

Em casos mais graves é notória a presença de:

  • Febre;
  • Cansaço;
  • Fraqueza;
  • Coração e respiração acelerados.

Entenda a diferença entre furúnculo, foliculite e carbúnculo

“A foliculite é uma infecção do folículo piloso —ela atinge a parte mais superficial da pele. O furúnculo é uma foliculite que avança —é mais profundo e alcança a derme. Já o carbúnculo é uma série de vários furúnculos que se unem formando uma lesão maior”, esclarece Rafael Mendonça Rey dos Santos, presidente da Associação Paranaense de Medicina de Família e Comunidade.

Pelo encravado é a mesma coisa que furúnculo?

Não. O pelo pode apenas estar encravado, sem que haja infecção. O furúnculo sempre terá como características vermelhidão, inchaço e, na maioria das vezes, pus visível.

Quem está mais suscetível?

Infecções de pele e furúnculos são mais comuns em pessoas cujas condições de higiene são precárias.

Indivíduos que tenham sua imunidade reduzida, ou sejam usuários de drogas, precisam ficar mais atentos.

Além deles, são também suscetíveis pessoas acometidas pelas seguintes enfermidades:

  • Obesidade;
  • Diabetes;
  • Câncer;
  • Infecções de pele crônicas (como a úlcera venosa, por exemplo);
  • Eczema;
  • Conjuntivite;
  • Asma alérgica.

Quando procurar ajuda médica

É possível que os furúnculos sejam drenados (o pus sai sozinho ou é absorvido pelo organismo) sem intervenção médica.

Quando ele aparece em um local de maior atrito ou é muito grande, a intervenção do médico não só reduz a dor e previne complicações, bem como diminui o tempo de recuperação.

Na maioria das vezes as pessoas procuram o pronto-socorro. Todos os médicos, desde clínicos gerais, cirurgiões gerais, pediatras (quando for uma criança) e dermatologistas são treinados para atender esse tipo de problema sem dificuldades, já que ele é comum e de fácil resolução.

Vá ao médico se observar em si as seguintes manifestações:

  • O furúnculo apareceu na face, no nariz ou na região das costas;
  • O abscesso está aumentando, parece macio ou esponjoso ao ser tocado;
  • O furúnculo não melhorou em 2 semanas;
  • Você se sente febril e não se sente bem.

Como é feito o diagnóstico

O médico vai ouvir sua queixa, levantar seu histórico de saúde e fazer o exame físico. Ele também poderá solicitar exames laboratoriais para saber que tipo de bactéria se trata.

Existem exames específicos, como a cultura de bactérias com antibiograma, que ajudam a definir o melhor medicamento a ser utilizado no caso. A explicação é de Fábio Heidi Sakamoto, médico do Ambulatório de Dermatologia do Hospital Santa Marcelina, em São Paulo.

“Eles são mais demorados. Por isso, muitas vezes, não dá para esperar uma semana para iniciar o tratamento”, completa Sakamoto.

Como é feito o tratamento

A depender da gravidade do furúnculo, o médico indicará mudanças de hábitos como evitar vestir roupas muito apertadas, usar antitranspirante para reduzir a umidade na pele.

Ele também poderá sugerir cuidados como fazer compressas mornas para facilitar a drenagem do pus.

Se for necessário, indica-se ainda o uso oral e tópico de antibiótico.

Quando é possível, a drenagem cirúrgica alivia o desconforto local. O problema é que ela deve ser feita no momento certo —3 ou 4 dias após o início dos sintomas. O furúnculo estará amolecido e a pele estará fina. É aí que se faz um corte local para provocar a saída do pus.

A terapia deve ser seguida pelo tempo determinado pelo médico, que geralmente é de 7 dias, mesmo que os sintomas desapareçam.

Ao agir assim, você colabora para combater a resistência bacteriana, cujo resultado é o medicamento deixar de fazer efeito para você quando for necessário usá-lo em uma outra situação.

Patricia Ormiga, assessora do Departamento de Cosmiatria da SBD lembra que não existe receita caseira para tratar furúnculos: “Jamais esprema, porque essa atitude pode ter consequências graves para a saúde. O mais importante é procurar o dermatologista sempre que existir uma lesão de pele. Só ele será capaz de prescrever o tratamento mais adequado”, adverte.

Conheça as possíveis complicações

O furúnculo decorre de um processo infeccioso que pode não se limitar apenas à pele. Caso haja manipulação antes da drenagem espontânea, a bactéria pode ultrapassar a superfície cutânea o que levaria à celulite infecciosa (bacteriana) ou a situações mais raras como a sepse.

Ele pode ser recorrente?

Sim. Algumas pessoas apresentam episódios de infecção mais frequentes porque têm superabundância de Staphylococcus. Nesses casos, um tratamento preventivo pode controlar as crises.

Imunodeprimidos podem ter infecções repetidas, e estas podem acontecer ao mesmo tempo e em partes diferentes do corpo. Este quadro é definido pelos médicos como furunculose.

Dá para prevenir?

Sim. Mantenha uma rotina de higiene, evite atrito com lâmina de barbear, use roupas mais folgadas, proteja as coxas, caso elas estejam em constante atrito.

Fontes: Fábio Heidi Sakamoto, médico do Ambulatório de Dermatologia do Hospital Santa Marcelina e professor de dermatologia da escola de Medicina da Faculdade Santa Marcelina; Patricia Ormiga, assessora do Departamento de Cosmiatria da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia); Rafael Mendonça Rey dos Santos, presidente da Associação Paranaense de Medicina de Família e Comunidade e professor da disciplina de Medicina de Família da Escola de Medicina da PUC-PR (Pontifícia Universidade Católica do Paraná).
Revisão técnica: Rafael Mendonça Rey dos Santos.

Referências: SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia); Manual MSD; Boils and carbuncles: Overview. NCBI; Lin HS, Lin PT, Tsai YS, Wang SH, Chi CC. Interventions for bacterial folliculitis and boils (furuncles and carbuncles). Cochrane Database Syst Rev. 2018.

Compartilhar