Funcionários demitidos da empresa Falcão Real, que atua no transporte intermunicipal, iniciaram um protesto, na manhã desta terça-feira (1º), na região da rodoviária de Salvador.

Eles cobraram salários e direitos trabalhistas atrasados. Os manifestantes alegam que não receberam o salário por três meses e cobram também o pagamento do tíquete e da rescisão contratual. O grupo ainda relata que a empresa ficou sem assinar a carteira de várias pessoas.

Os manifestantes chegaram a bloquear a saída de ônibus na rodoviária, mas depois liberaram a passagem dos veículos e foram até a frente da sede da empresa. Eles querem que algum representante da Falcão Real vá ao local conversar.

Grupo chegar a bloquear saída dos ônibus, mas depois liberaram a passagem — Foto: Reprodução/TV Bahia

Grupo chegar a bloquear saída dos ônibus, mas depois liberaram a passagem — Foto: Reprodução/TV Bahia

Em janeiro deste ano, um incêndio atingiu a garagem da empresa e destruiu 12 ônibus. Apesar da gravidade do caso, ninguém ficou ferido.

No mesmo mês, funcionários da empresa fizeram um protesto contra salários atrasados e direitos que não foram pagos. Na ocasião, os funcionários disseram que estão sem trabalhar desde março de 2020, e que estavam com salários atrasados e outros benefícios cancelados.

A empresa foi proibida de atuar no estado desde dezembro de 2020, por decisão judicial. A medida foi tomada depois que a Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba) informou que a empresa oferecia um mau serviço.

Segundo a Agerba, antes de ter atuação suspensa, a empresa foi acionada para que fizesse adequações no serviço. Como os ajustes não foram feitos, a Falcão foi proibida de circular.

Compartilhar