O Fluminense de Feira negocia a contratação do goleiro Bruno para a disputa do Campeonato Baiano. O arqueiro, de 35 anos, está sem clube desde outubro do ano passado. A negociação foi confirmada ao Portal A TARDE pelo presidente do clube, o deputado estadual Pastor Tom (PSL).

Segundo o gestor, as conversas estão bem encaminhadas. “Negociamos há cerca de três dias. A conversa está bem avançada, já conversamos com o empresário e veremos como vamos liberar o mesmo [Bruno] para vir para a Bahia, já que está em prisão domiciliar. Então, estamos vendo esse acordo”, declarou o mandatário do Touro do Sertão, eleito em dezembro do ano passado.

Questionado sobre a repercussão da contratação do goleiro, o deputado garante que a ressocialização é o caminho e a produção dentro de campo é o que importa ao clube de Feira de Santana. “Quem não tiver pecado, jogue a primeira pedra. O tanto que passa notícia, publicidade do governo pedindo para ressocializar pessoas que um dia foram presas, então não precisa só julgar, se ele for bem em campo, se responder fisicamente, mentalmente, é isso que a gente quer, e eu não vejo dificuldade nenhuma”, afirmou.

Sobre a reação da torcida, o presidente pondera: “Lógico que vão ter pessoas que vão concordar e vão ter outras que não vão. A torcida tem meu respeito e carinho. Estamos vendo com a torcida e a maioria que vai vencer. Até a segunda-feira [6] nós temos a confirmação do sim ou do não”.

O deputado não revelou valores envolvidos na negociação, mas afirmou que o que o atleta está pedindo é “viável ao Fluminense”. Caso se concretize, a contratação de Bruno terá suporte de investidores do clube. “Falamos também com alguns patrocinadores, que disseram que não têm nada contra, muito pelo contrário”, garantiu.

O molde da negociação prevê um contrato curto com goleiro, apenas para a disputa do Campeonato Baiano, única competição que o Touro do Sertão participa em 2020.

Histórico

Bruno foi condenado a 20 anos e nove meses de prisão pelo assassinato e ocultação de cadáver da modelo Eliza Samúdio, em junho de 2010. Ano passado, ele conseguiu a progressão para o regime semiaberto. E em agosto, foi anunciado como novo reforço do Poços de Caldas. Em acordo com o clube, após salários atrasados, o contrato foi suspenso.

Bruno teve passagens por Atlético-MG, Corinthians, Flamengo e o Boa Esporte em 2017, primeiro clube que defendeu após sua prisão mediante a um habeas corpus. Em meio a rejeição da torcida e patrocinadores do clube mineiro, Bruno atuou somente em 5 partidas, e após o STF revogar a soltura, o goleiro voltou para a prisão.

Compartilhar