As filhas de Gugu Liberato, Marina e Sofia, após irem à justiça acusar a tia, Aparecida Liberato, de não prestar contas como inventariante do espólio do apresentador, decidiram agora mudar seus advogados de defesa. Isso mostra claramente que elas não estão satisfeitas com o rumo do processo.

Questionada sobre o motivo para a troca dos advogados, a assessoria de imprensa da família Liberato não respondeu sobre o assunto.

Aliás, este caso tem várias questões jurídicas interessantes que as pessoas não entendem. Em testamento, o apresentador só poderia dispor de 50% do patrimônio (para qualquer pessoa). Os outros 50%, aplica-se a lei. Sem companheiro, esses 50% irão aos filhos. Com companheiro, ele concorre com os filhos (12,5% para cada).

Outra coisa: Gugu não deixou nada para os irmãos (só para os sobrinhos). E ninguém reclama disso. Talvez a intenção dele tenha sido beneficiar a segunda geração que protegeria a primeira. Rose Miriam não está desprotegida com os filhos recebendo a maior parte da herança.

Há outra questão, que ninguém se atentou, boa parte do patrimônio de Gugu está no exterior. Quer dizer, a lei brasileira não vale nada lá. No entanto, em alguns países aplica-se a lei brasileira. Em outros a possibilidade de disposição do patrimônio pode ser maior.

Quando a pessoa tem bens em vários países, precisa conversar com advogados especializados em sucessão em cada um dos países. O inventário do Brasil só vai tratar dos bens que estão aqui.

Compartilhar