Enquanto os blocos com corda têm aumento de vendas, outro fenômeno tem acontecido. Assim como outras formações de blocos têm se apresentado nos Carnavais de rua de cidades como Rio de Janeiro e São Paulo, outras expressões culturais têm ganhado espaço na folia soteropolitana.

“Os produtores e empresários de Carnaval estão se adequando e se adaptando. É o caso do Harém, que desfilava como bloco na Barra. No ano passado, não desfilou e, esse ano, fez um movimento e vai ter uma fanfarra e uma festa dentro de um espaço privado, na sexta-feira (23)”, diz o secretário municipal de Cultura e Turismo, Cláudio Tinoco.

Para Tinoco, é preciso entender e valorizar esses novos movimentos. “Precisamos entender que tudo isso é a indústria do entretenimento e do Carnaval, seja um bloco de cordas convencional, sejam esses grupos que estão crescendo muito em Salvador”, diz.

No caso do Harém, a festa Santo Antônio Harém do Carmo vai contar com shows de Jau, Lincoln e Duas Medidas, Telefunksoul, Forró do Tico, Microtrio e a Fanfarra Harém na Chácara Baluarte, no bairro do Santo Antônio Além do Carmo. Os ingressos custam R$ 160 (inteira) e R$ 80 (meia).

De acordo com o empresário Guiga Sampaio, sócio da Diva Entretenimento, que é responsável pela festa, o grupo percebeu que as manifestações pré-Carnaval com caráter lúdico têm ganhado espaço.

“A gente acredita que a gente tem que criar produtos que as pessoas estão consumindo. O Carnaval, em si, continua uma indústria pujante, mas a gente percebe que as pessoas também têm anseio por viver experiências de rua, tranquilas, usando fantasia e revivendo o período mais clássico do Carnaval”, afirma o secretário.
Inicialmente, o evento contaria também com uma banda de fanfarra gratuita na rua. “A gente acabou fazendo uma alteração na proposta inicial porque a gente percebeu que o Carnaval de rua no Carmo ainda está muito desordenado. Houve divergências e a gente optou por fazer apena um baile indoor”, completou Sampaio.

Outra tendência nova no Carnaval é o “esquenta” da festa – e é justamente a proposta do Carnavalito, que acontece no sábado (2 de março) e na segunda-feira (3 de março) do período momesco. Em cada dia, serão mais de oito horas de música na Arena Fonte Nova.

“Nosso intuito é trazer diversidade e enriquecer o Carnaval de Salvador, em um horário em que você ainda não tem muita coisa acontecendo na rua, já que geralmente a festa tem início no final da tarde”, explica o presidente da Arena Fonte Nova, Dênio Cidreira.
No sábado, haverá shows de Harmonia do Samba, Mudei de Nome, Kevinho e Denny Denan. Já na segunda, quem for ao evento vai conferir shows de Chiclete com Banana, Gusttavo Lima, Bob Sinclar e Lincoln & Duas Medidas. De acordo com os organizadores, dois pranchões elétricos vão levar os participantes pela cidade cenográfica, que será erguida na Praça Sul da Arena. Os ingressos vão de R$ 170 (Setor Atrás do Trio) a R$ 370 (Camarote Open Bar). Há ainda a opção Combo Carnavalito para os dois dias de festa, por R$ 306 (Setor Atrás do Trio) e R$ 680 (Camarote Open Bar).

Compartilhar