Por Rodrigo Daniel Silva

Presidente do PDT na Bahia, o deputado federal Félix Mendonça Júnior defendeu, ontem, adiar as eleições municipais por causa do surto do coronavírus que atinge o Brasil e outras partes do mundo. Segundo o pedetista, ele vai apresentar uma proposta na Câmara dos Deputados a fim de que a medida seja adotada. A campanha eleitoral começa oficialmente no país no dia 16 de agosto, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“A postergação (…) ocorrerá até que o Ministério da Saúde recomende não mais ser necessária a adoção de medidas excepcionais de combate ao coronavírus (Covid-19) no país. Caberá ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) definir a data da eleição. Caso as eleições municipais previstas para 2020 ocorram em 2021, ficam automaticamente prorrogados os mandatos dos atuais ocupantes de mandatos municipais. Os eleitos terão mandato até 31 de dezembro de 2025”, diz trecho da proposta.

Félix quer ainda que a diplomação dos eleitos ocorra 15 dias após a eleição e que a posse aconteça 15 dias após a diplomação. Presidente nacional do DEM, o prefeito ACM Neto disse que é “prematuro” falar sobre uma possível suspensão das eleições municipais deste ano por causa do coronavírus. “Muito prematuro falar isso agora. Vamos trabalhar e rezar para que isso não aconteça”, afirmou ACM Neto, em entrevista ao jornal Tribuna da Bahia.

Os países que também sofrem com a Covid-19 têm mantido as eleições. Por causa da doença, a França registrou a menor taxa de participação da história nas eleições municipais, que ocorreram no último domingo. Mais de 50% dos eleitores não compareceram as urnas.

Lá o líder do partido de direita Os Republicanos, Christian Jacob, pressionou o presidente Emmanuel Macron a manter a votação, caso contrário o chefe de Estado estaria cometendo “um golpe de estado e um golpe institucional”. Antes de entrar no local de votação, os eleitores franceses foram obrigados a higienizar as mãos. Todos receberam a recomendação de levar a própria caneta até a cabine.

Os eleitores mantiveram uma distância de segurança de um metro entre eles durante cada etapa do voto, e os mesários receberam álcool gel e luvas para proteção.

Nos Estados Unidos, apesar do temor causado pela pandemia de coronavírus, três estados mantiveram suas primárias eleitorais para a escolha do candidato do Democratas: Arizona, Flórida e Illinois. Em Ohio, a votação foi adiada horas antes da abertura das urnas. O governador de Ohio, Mike DeWine, tinha recomendado o adiamento da votação para “cuidar daqueles que irão trabalhar nas sessões eleitorais”. Até anteontem, o estado americano tinha registrado 50 casos de contaminação pelo coronavírus.

Compartilhar