A mãe e o padrinho do garoto Marcos Vinícius de Carvalho dos Santos, de dois anos,desaparecido na manhã desta sexta-feira (14), na feira de Itapuã, em Salvador, prestaram depoimento na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) na tarde deste sábado (15). A criança tem problemas graves de saúde e tem uma cirurgia prevista ainda para este mês.garoto-desaparecido

A garçonete Fabiana de Carvalho, de 18 anos, mãe de Marcos, disse que deixava o filho com o padrinho, Rafael Pinheiro, porque não tinha condições de ficar com o garoto, já que trabalhava à noite. Apesar de não estar com o filho no momento do desaparecimento, a mãe acredita que a criança tenha sido levada por alguém, porque tinha um perfil quieto e não andava sozinho. Segundo ela, o pai da criança não chegou a conhecer, nem registrar o filho.

“Ele tem diabetes, tolerância zero a lactose. Tem um cisto no pâncreas, que ela ia ser operado esse mês e tem medicamento que ele toma para dor, que ele sente dores de vez em quando, tanto na cabeça, quanto na barriga, e ele tem que tomar os remédios de oito em oito horas e fica essa preocupação”, relata o padrinho, o fotógrafo e cabeleireiro Rafael Pinheiro.

De acordo com ele, a família não tem nenhuma suspeita. “Todo mundo que a gente conhece, ninguém tem briga, nada disso. Vamos continuar procurando e se tiver vendo, se não tiver coragem de entregar ele, deixa em qualquer lugar público, que alguém vai achar e vai entrar em contato com a gente”, se emociona o padrinho.

Desaparecimento
“Ele estava comigo em um estande de verduras. Eu coloquei ele do meu lado, enquanto eu olhava as verduras. Questão de alguns segundos, eu fui pegar a mãozinha dele para continuar andando e ele tinha desaparecido. Eu, o pessoal da feira, os amigos e parentes começamos a procurar e ninguém conseguiu achar. Fomos até a delegacia de Itapuã e eles nos encaminharam para cá (Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa)”, relata o padrinho do garoto, o fotógrafo e cabelereiro Rafael Pinheiro.

Ele disse que ouviu de comerciantes da feira que o menino foi levado em um carro de marca Corolla da cor preta. “Três testemunhas de locais diferentes disseram ter visto ele com um rapaz moreno, de camiseta preta, em um corola preto, na Dorival Caymmi (em Itapuã). Um deles no posto de gasolina”, conta.

Segundo ele, a polícia vai solicitar as imagens de vigilância dos estabelecimentos próximos para auxiliar as investigações, que começam neste sábado (15). Rafael contou que conhece Fabiana há seis meses e resolveu cuidar da criança porque a mãe não tinha condições para isso. De acordo com a DHPP, as testemunhas que dizem que o menino foi levado por um homem ainda serão ouvidas.

Compartilhar