Uma fábrica do Grupo Ramarim instalada no município de Santo Antônio de Jesus, a 187 quilômetros de Salvador, decidiu encerrar as atividades. A informação foi confirmada em nota divulgada na última quinta-feira (28) pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado da Bahia (SDE). A SDE afirma que, em reunião com executivos da empresa, foi comunicado oficialmente que, em virtude da pandemia da Covid-19, foi necessário interromper os serviços na unidade.

Segundo a SDE, o Grupo Ramarim garantiu que todos os direitos trabalhistas serão observados e que há a possibilidade de migração de alguns funcionários para as unidades de Jequié, no sudoeste do estado, onde será concentrada a produção da marca.

A secretaria informou também que, numa perspectiva de melhoria do mercado, pós-pandemia, será avaliada a possibilidade de retorno da operação na fábrica do Recôncavo Baiano. Por fim, a SDE lamentou os desligamentos e informou que, neste ano, assinou 23 protocolos de intenções para instalação ou ampliação de empreendimentos na Bahia que, “juntos, vão aportar R$ 1,7 bilhão em investimentos privados, com previsão de gerar 1,3 mil novos empregos diretos”.

Veja comunicado divulgado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico da Bahia:

“A Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado da Bahia (SDE) informa que está acompanhado o anúncio do encerramento de atividades da unidade fabril do Grupo Ramarim, no município de Santo Antônio de Jesus. Em reunião com executivos da empresa, foi comunicado oficialmente que, em virtude da pandemia do Covid-19, foi necessário fazer a interrupção, mas que todos os direitos trabalhistas serão observados.

A Companhia disse ainda que há a possibilidade de migração de alguns funcionários para as unidades de Jequié, onde será concentrada a produção da marca. Numa perspectiva de melhoria do mercado, pós-pandemia, será avaliada a possibilidade de retorno da operação na fábrica do Recôncavo. Os executivos da Ramarim agradeceram o apoio do Governo do Estado, disseram que foi uma difícil decisão, mas asseguraram à SDE que o desejo do Grupo é evoluir ainda mais em solo baiano, que sedia a unidade matriz da marca.

A Secretaria lamenta os desligamentos, mas ressalta que tem dialogado com todas as empresas instaladas na Bahia e prospectado novos investimentos, que resultarão na geração de postos de trabalho. A pasta destaca ainda que, este ano, já assinou 23 protocolos de intenções para instalação ou ampliação de empreendimentos na Bahia. Juntos, vão aportar R$ 1,7 bilhão em investimentos privados, com previsão de gerar 1,3 mil novos empregos diretos”.

Compartilhar