O secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, disse na manhã desta terça-feira (16) que os recursos investido pelos estados do Nordeste para a compra das 37 milhões de doses da vacina Sputnik V, fabricadas na Rússia, serão reembolsados pelo governo federal.

Na segunda-feira (15), o governador Rui Costa anunciou a assinatura do contrato de aquisição das vacinas. Deste total, 9,7 milhões de doses ficam com a Bahia.

Vilas-Boas explicou que as autoridades ainda estudam como será feita a logística para distribuição entre os estados, mas destacou que os valores gastos retornarão futuramente aos estados, porque as doses serão incluídas no Plano Nacional de Imunização.

“Essas doses antecipadas serão abatidas no final, mas garantiremos um prazo mais curto. Essa é a grande vantagem: injetar quase 40 milhões de doses de vacinas para a Covid no sistema nacional de imunização. A gente vai fazer com que o Nordeste tenha agora uma injeção de vacinas superior ao resto do país”, disse o secretário.

Os imunizantes serão divididos entre os estados do Nordeste baseado no percentual da população de cada estado. A expectativa, segundo Vilas-Boas, é ampliar o público-alvo e alcançar também os profissionais da área de Segurança e Educação nessa etapa do processo de vacinação.

“A Bahia terá 27% dessa quantidade, que será aplicada à população acima de 60 anos, profissionais de Educação e Segurança, de modo a antecipar a vacinação aos grupos de risco e fazer com que a cobertura vacinal garanta a queda da taxa de transmissão”, afirmou.

A pasta informou que isso ainda não foi definido, e que vão ver se as 9,7 milhões de doses ficam na Bahia e serão descontadas do que o Ministério da Saúde (MS) mandará mais tarde, ou se chega ao estado e é encaminhada para Brasília fazer a distribuição.

Chegada do primeiro lote

Vacina Sputnik V  começará  achegar em abril — Foto: Reprodução/TV Globo

Vacina Sputnik V começará achegar em abril — Foto: Reprodução/TV Globo

Havia a expectativa que a primeira carga, com 400 mil doses, chegasse à Bahia já no mês de março. Porém, por questão de logística, as doses começarão a ser recebidas em abril.

Portanto, segundo Fábio Vilas-Boas, o envio será feito junto com outro 1,5 milhão de doses previsto para este mês.

“Então em abril teremos quase 2 milhões [de vacinas] e serão imediatamente aplicadas. Esperamos que a Anvisa emita nos próximos dias a autorização de uso emergencial”, afirmou.

Compartilhar