Em sua participação na live promovida pelo INFORMA1, o apresentador Uziel Bueno foi entrevistado na noite desta quarta-feira(16) por Thimoteo Oliveira. O comunicador da TV Band Bahia falou sobre a pandemia do novo corona vírus, política, Bolsonaro e comunicação. (confira abaixo entrevista completa em vídeo)

A entrevista que durou 1 hora, ocorreu através do perfil oficial do INFORMA1 no Instagram

De forma inesperada, Uziel Bueno afirmou que talvez não seja candidato, Hoje, eu não sei se serei candidato. Tenho até o dia 10 de agosto para sair da TV. Tenho conversado muito com a direção da Band Nordeste se serei candidato a vereador ou não. Tenho contrato com eles até 2022. Estou num grande momento. Estou fazendo hoje o que ninguém está fazendo, que é assistência social na TV, o que é fantástico. O que tenho recebido de elogios não tem preço, então não se se serei útil na TV ou mais útil como vereador de Salvador, não sei. Existe sim a possiblidade de ser candidato a vereador, mas hoje não sei. Ainda estou pensando. A Band quer que eu vá, pela primeira vez eu teria o apoio da direção! Eu nunca tive apoio da televisão que eu estive. Eles acham que vou fazer um bom mandato, eles dizem assim, me tranquilizam muito, sobre meu retorno e tudo…”

Corona Vírus

Uziel, que em maio deste ano foi diagnosticado com o COVID-19, falou sobre os momentos de expectativa que passou com vírus. Mesmo assintomático, o comunicador falou que tinha receio, “A gente não se vai amanhecer bem, se vai piorar… Fiquei com muito medo, mas aliviado quando não aparecia nada. Era mais aflição mesmo”, afirmou.

Quarentena e fechamento do comércio

Sobre o isolamento social e as ações da Prefeitura e Governo, Bueno explicou: “É claro que o prefeito e governador não querem perder popularidade, isso é fato. Eu tenho certeza que ACM Neto e Rui Costa estão trabalhando juntos pela vida, apesar de ter muitas críticas, eu concordo com eles, porém, acho que já deu.” 

O apresentador Uziel Bueno em entrevista ao quadro Sem Atalho do INFORMA1 em 2019

Ministro da Saúde e Bolsonaro

O apresentador criticou a gestão Bolsonaro durante a crise gerada pela pandemia, mas elogiou outros aspectos do governo: “Eu acho que em relação a pandemia é um desastre, porém, em outros aspectos vai bem. A única situação que vi o governo Bolsonaro derrapar muito foi em relação a saúde, o resto é política pura.”

Política nacional e oposição ao Bolsonaro

Questionado por Thimoteo Oliveira sobre os ataques e acusações que Bolsonaro recebe da mídia e da esquerda, Uziel disse: “O PT sabe fazer oposição muito bem, o PC do B é um oposicionista de primeira linha, inclusive, acho que é melhor na oposição do que no governo”. Sobre Bolsonaro ser chamado de genocida e responsável pelas mortes da crise corona vírus, o apresentador explicou, “Não acho que essa máxima de ‘genocida’, essa coisa toda…isso como eu disse, é plantado pela esquerda brasileira, pelo PT, PC do B e outros partidos de esquerda que realmente sabem fazer oposição a qualquer governo. Acho isso muito forte, quando você coloca um termo como esse no presidente da República, você destrói a imagem do Brasil lá fora. Eu como brasileiro, que amo meu país, não posso trabalhar contra nenhum Governo Federal, por mais que eu não goste dele, claro que se a gente tem um governo que é totalmente alheio a isso, algo totalmente ditatorial, ai sim você vai para o embate. Mas se você tem um governo democraticamente eleito, estamos passando por uma pandemia, por mais que você não goste dos métodos deste governo, você não pode fragilizá-lo ao máximo pra atingir seus objetivos”, afirmou.

Marxismo cultural e militância jornalística de esquerda na Bahia  

Perguntado sobre uma crescente perseguição da imprensa baiana e nacional ao pensamento conservador, Uziel explicou,”Eu fiz comunicação na Universidade Federal da Bahia e Faculdade de Comunicação é extremamente esquerda. Extremamente marxista e trabalha sim dessa forma. Professores, coordenadores, a maioria trabalha nessa linha mesmo. Assim, vou dizer como jornalista hoje mais experiente, crítico: a imprensa faz isso de uma forma, inclusive, sem pensar. Ela já vai no ‘bate-pronto’, porque ela foi formada dessa forma. Os jornalistas baianos, a maioria, foram formados dessa forma, com esse alicerce de Marx, esquerda, revolucionário, com ideologia político-partidária sim. Aqui na Bahia, a maioria dos jornalistas formados pela UFBA foram formados e estão alicerçados com esse tipo de ideologia. Eu que sempre fui muito crítico, não disso, mas da forma que estou sendo guiado, eu consigo hoje perceber que um Jean Willis, por exemplo, que foi contemporâneo meu na FACOM, ele foi formado dessa forma, e hoje ele milita para a esquerda como jornalista e político. O Wagner Moura também foi meu contemporâneo, ele mais velho, óbvio, ele também tem ideologias e vem nesse alicerce da esquerda, não estou dizendo que ele está na totalidade errado, nessas questão de direitos-humanos ele milita bem, porém, pra você ter noção a maioria dos jornalistas que foram formados na UFBA, defendem regularização das drogas, ou seja, a maconha livre. Defendem que não tenha restrição de colocar uma ideologia marxista nas escolas, eles não se opõe à isso, e acham que estão formando estudantes capacitados e não estão, esse então é o problema dos jornalistas baianos formados na década de 80, 90 e começo dos anos 2000. Eu sou um ponto fora da curva, fui formado nessa ideologia, porém tive a capacidade de saber que isso é também um lado da moeda, e ela tem dois lados, vários lados”. Bueno também mostrou que independente de lados ideológicos, já votou em Rui e votará em Bruno Reis “Para governador por exemplo, eu votei em Rui Costa, naquele momento Rui Costa era melhor para a Bahia, e agora vou votar em Bruno Reis, porque acho que nesse momento para a cidade Bruno reis é o caminho”, afirmou o apresentador.

Ainda sobre doutrinação nas universidades, Bueno contou que quando estudante já sofreu certa perseguição: “Quando fui aluno da UFBA, fui muito ridicularizado porque não concordava que fumassem maconha no corredor da faculdade, e me chamavam de ‘ditador’. Quantas eu ouvi: ‘Uziel você está no lugar errado”, contou.

Prefeitura de Salvador e críticas ao PT e Major Denice

“Acho que não há candidato melhor que Bruno Reis nesse momento. Desculpe o PT, mas a Major Denice foi a pior escolha que eles podiam ter feito. A pior! Não tem trabalho nenhum em Salvador. Ah! Mas foi major da Ronda Maria da Penha da PM-BA, então pega ai uma assistente social e também bota, dá no mesmo, ou não, assistente social tem até mais trabalho. Não tem identificação nenhuma com a esquerda, é difícil até encontrar um vice. Eu não tenho nada contra a major Denice pessoalmente, só porque ela é mulher e negra? Não é assim que se faz. Inclusive um desrespeito a outras mulheres que são petistas em Salvador, como Marta Rodrigues…Olívia Santana do PC do B, tem muita mais história que a major Denice, porém não tem lastro suficiente nesse momento para ser candidata e ter sucesso depois, porque ela conhece muito Salvador mas não tem o administrativo que o soteropolitano quer, e ficou acostumado já com ACM Neto. Gosto muito de Olívia, tenho um respeito pelo trabalho dela, pela militância, mas infelizmente, tá no momento errado”.

Outros candidatos

“Me desculpe, mas os outros candidatos não tem experiência, não conhecem a cidade. Salvador não é a cidade que eles conhecem pela televisão, redes sociais ou pelo amigo que tem na periferia, quem conhece Salvador sou eu, outros apresentadores, são lideranças comunitárias de Cajazeiras, Bruno Reis, vereadores também conhecem. Hoje, administrativamente falando, só tem Bruno Reis”.

Vice de Bruno Reis

“Acho que o vice poderia ser Geraldinho, seria um grande vice, porém, poderia ser Leo Prates também, mas já não pode. Acho que Geraldinho ou Ana Paula, só tem duas pessoas. Tem Uziel Bueno, se quiser fazer puro-sangue porque estou no DEM”.(risos).

 DEM

“Eu tive convite de alguns partidos. Tive do PP de João Leão, na verdade, a maioria dos partidos me convidou. Resolvi ir para o DEM porque sou amigo de Bruno Reis há muitos anos, amigo pessoal mesmo. Eu peço conselhos, ele liga pra mim, nós somos amigos. Nesse momento não poderia estar longe do projeto dele, algo de amizade mesmo, sou amigo da família, acho que no DEM estou mais próximo dele. Tive convite para ir ao PDT, e não fui porque lá imaginei que estaria desapegado do projeto Bruno Reis”

Rui Costa

Sobre o governador da Bahia, Uziel teceu elogios ao líder do executivo baiano e atacou o Partido dos Trabalhadores, “Acho que Rui Costa é um dos melhores governadores do Brasil. Eu estou no DEM de ACM Neto e digo, Rui Costa é um dos melhores governadores do Brasil! Acho que o PT faz sacanagem com Rui Costa, já deveria ter alçado ele a realmente ser um pré-candidato à presidência da República. O PT não valoriza Rui Costa! A presidente do PT nacional, Gleise Hoffmann prefere dar vez e voz ao governador do Ceará a dar vez e voz a Rui Costa”, afirmou.

Mudança de emissora

Perguntado sobre uma possível mudança de emissora, o comunicador salienta que continuará na Band, “Ligações a gente sempre recebe, mas oficiais nunca. Eu estou muito feliz onde estou, nunca digo nunca, óbvio porque não existe isso, se mudar a direção da Band amanhã, a gente pode ser descartado, tudo é possível. Tenho contrato até 2022, pra me tirar da Band tem que ser algo muito bom mesmo, muito bom! Mas por enquanto não penso nisso, quero finalizar o ano na BAND.”

Ze Eduardo

Sobre seu concorrente, Uziel afirmou seu ponto de vista: “Zé Eduardo já deveria ter ido para o nacional, acho que a Record também maltrata muito ele. Nesse aspecto acho que já poderia ter dado chance a ele nacionalmente”.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Entrevista com @uzielbueno

Uma publicação compartilhada por Informa1 (@informa1) em

Compartilhar