Um estudo realizado em hospitais do Reino Unido concluiu que gestantes não são mais vulneráveis a complicações graves da covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, do que outras mulheres.

A pesquisa examinou experiências de 427 grávidas internadas com covid-19 entre 1 de março e 14 de abril e constatou que mulheres negras e de outras etnias minoritárias tinham maior probabilidade de serem admitidas nos hospitais com a doença.

No entanto, os pesquisadores da Universidade de Oxford descobriram que, embora as gestantes não sejam mais vulneráveis a complicações graves da doença, a maioria das que ficaram gravemente doentes estava no terceiro trimestre da gravidez.

O estudo alerta para a necessidade de mulheres nessa fase da gravidez, que começa na 28ª semana e dura até o parto, para praticar o distanciamento social e protegerem.

Os pesquisadores, que se uniram ao Royal College of Obstetricians and Gynecologists, descobriram que 4,9 mulheres grávidas a cada 1 mil foram para o hospital com coronavírus no Reino Unido. Aproximadamente uma em cada dez delas acabou precisando de cuidados intensivos e cinco morreram.

O levantamento, que também contou com o auxílio das universidades de Leeds e Birmingham, Kings e Imperial Colleges London, concluiu ainda que a transmissão da infecção da mãe para o bebê é baixa e que mulheres mais velhas, com sobrepeso, e que têm doenças preexistentes, como pressão alta, diabetes, têm maior probabilidade de serem hospitalizadas com coronavírus.

Compartilhar