Por Rodrigo Daniel Silva

Embora o PT nunca tenha conquistado a prefeitura de Salvador, o presidente do partido na Bahia, Éden Valadares, acredita que a história será diferente na eleição deste ano. “Batemos na trave algumas vezes, mas quem sabe não chegou a nossa vez esse ano? O PT tem uma relação muito grande com Salvador. Aqui Lula sempre foi muito bem votado desde 1989. Jaques Wagner, Rui Costa, Waldir Pires, Zezéu Ribeiro, temos um longo histórico de diálogo e representação com a cidade. Aliás, na eleição passada, em 2018, não só Haddad, Rui e Wagner venceram em todas as zonas eleitorais de Salvador, como a soma dos nossos deputados federais e estaduais foi a mais votada, superando a do DEM de ACM Neto. Isso mostra uma força e uma vitalidade muito grande do PT. Estamos confiantes para 2020”, declarou, em entrevista ao jornal Tribuna da Bahia.

A sigla tem hoje cinco pré-candidatos a prefeito: Vilma Reis (socióloga), Juca Ferreira (ex-ministro), Robinson Almeida (deputado estadual), Fabya Reis (secretária) e Denice Santiago (major da Polícia Militar). Para Éden, não há risco de haver rompimento na legenda. “Estou certo disso (de que haverá a unificação). Repare, o PT é um partido singular na história política brasileira, tem características próprias e uma dinâmica de funcionamento diferente de todos os demais partidos. Aqui, no PT, os processos de debates são mais longos e aprofundados. E isso pode causar estranheza a quem olha de fora, ou passar impressão de que estamos atrasados. Não estamos. O PT está no seu tempo. Temos cinco pré-candidaturas colocadas para a escolha do Encontro Municipal que vai acontecer dia 14 de março. Até lá haverá muita conversa, muito diálogo e espaço para o convencimento. Consenso no PT é difícil. Até Lula já teve que disputar sua indicação no PT”, pontuou.

O presidente petista ainda cutucou os adversários. “Estamos otimistas quanto à eleição em Salvador. Acreditamos que há um certo salto alto da parte de Bruno Reis (pré-candidato indicado por ACM Neto), outras candidaturas da base também têm se apresentado, com legitimidade. Enfim, quem achava que o jogo estava jogado, errou. Teremos disputa em Salvador e estou certo que o PT chegará unido e forte, sob a liderança do governador Rui Costa e do senador Jaques Wagner. Ainda tem conversas rolando, mas no dia 14, a militância petista definirá nossa candidatura e iniciaremos um grande processo de diálogo com a cidade para construirmos, a milhares de mãos, um programa de governo humano, solidário e que ajuste a agenda da nossa capital para cuidar de quem mais precisa, olhar e trabalhar pelas pessoas, por nosso povo”, ressaltou.

Éden Valadares ainda defendeu a pré-candidatura da major Denice Santiago. Comandante da Ronda Maria da Penha, ela foi indicada pelo governador Rui Costa para ser postulante do partido.“Denice é petista de coração. Quem a conhece, quem convive com ela, sabe disso. Só não é petista de carteirinha, formalmente, por conta da sua carreira profissional na PM. Mas é de cabeça e coração. Uma mulher guerreira, negra, mãe, competente, destaque na sua corporação uma vencedora. E ela sempre pautou sua vida por valores muito semelhantes aos do PT, como a democracia, a empatia pelas pessoas, sobretudo as que mais precisam. Denice transformou a Polícia Militar da Bahia e seu trabalho é nacional e internacionalmente reconhecido. Eu, enquanto presidente do PT, fico muito feliz com essa disposição da major Denice de se juntar a nós, com essa disposição dela em nos representar. Penso ser um acerto grande do governador e do senador (Jaques) ao tornar pública a opinião deles”, salientou.

Compartilhar