O PSB de Salvador terá que tomar uma importante decisão nas próximas semanas: definir quem será o candidato da sigla na eleição municipal. E a discussão gira atualmente entre os nomes da deputada federal Lídice da Mata e do vereador Silvio Humberto. Os caciques defendem que a parlamentar, que também é presidente estadual da agremiação. Entretanto, o movimento “Eu Quero Ela”, que defende uma candidatura negra na cidade, pressiona para que o edil seja lançado. Marcelo Nilo, deputado federal, é um dos entusiastas do nome de Lídice. “Tem dois candidatos no partido: Lídice e Silvio Humberto. Os dois querem. Mas nós vamos afunilar para escolher um candidato. Eu defendo o nome de Lídice. Acho que Silvio Humberto faz um bom mandato e pode continuar como vereador. Agora, eu defendo o nome de Lídice. Mas não tem nada ainda decidido. Deve ter um critério para a escolha de um dos dois. Silvio tem o meu respeito, é um grande vereador e tem um nome muito forte nos segmento negro. Eu particularmente defendo o nome da deputada Lídice da Mata por estar melhor situada no cenário político em Salvador”, declarou, para a reportagem.

O parlamentar defende que a decisão de lançar ou não candidato seja agora na primeira quinzena do mês de janeiro. “Acho que já estamos atrasados em definição de candidatos”, critica. O fato é que o PSB demorou para tomar uma decisão diante da indefinição do presidente do Esporte Clube Bahia, Guilherme Bellintani, se lançar como postulante pela sigla.

“Bellintani nunca foi candidato. Quem conhece de política sabe que ele não seria candidato. Não foi surpresa nenhuma. Ele não fez nenhum gesto de que era candidato. Ele manteve o nome na mídia como provável candidato. Esteve de manhã com Rui Costa e à noite com ACM Neto. Ou seja, é uma pessoa que, na minha visão, nunca se definiu como candidato. Não houve ganho e nem perda. Se ele quiser ser candidato, ele seria um bom candidato. Mas ele nunca foi candidato. Quem conhece um mínimo de política sentia que ele não queria ser candidato”, diz Nilo. O deputado federal também prefere não avaliar se o possível apoio de Bellintani ao candidato do grupo do prefeito ACM Neto (DEM) pode influenciar no jogo político. “Não conheço ele e nunca estive pessoalmente com ele. Não conheço a personalidade dele. Foi pressão da imprensa e ele gostou de ver seu nome como candidato a prefeito de Salvador, mas nunca procurou ninguém, nunca conversou com ninguém e ele nunca era tão forte politicamente para ficar esperando em casa as pessoas o apoiarem. Ele não se movimentou. Quem quer ser candidato, se movimenta”.

Compartilhar